Edição 46

O livro da vez

A menina que bordava bilhetes

Por Fabiana Barboza

bordava1

Autora: Lenice Gomes
Ilustrador: Ellen Pestili
Editora: Cortez

O texto do livro A menina que bordava bilhetes faz uma verdadeira viagem ao mundo mágico das tradições orais. Muito folclore, muitas cantigas, parlendas e tantas outras características se fazem presentes no texto escrito por Lenice Gomes.

É possível perceber a grande importância que a autora deu à cantoria e à poesia ao longo de toda a obra. Assim, os personagens do texto, na verdade, são apresentados como brincantes que se encantam pela música e pelos folguedos.

A autora também explorou (e enfatiza este aspecto no texto) a cor da pele da personagem principal, Margarida. Além da cor, estão presentes no texto diversos aspectos relativos à ética, como idade, classe social e gênero. Portanto, a matéria literária, cuja base se fundamenta nos valores ideológicos (Filosofia de vida, padrões ideais de comportamento, consciência de mundo, aspirações, desejos, metas a serem alcançadas, etc.), está presente na obra e deve ser trabalhada com os leitores. Ainda é exaltado o artesanato, quando a autora pontua as ações de Margarida bordando seus bilhetes.

Essa valorização do artesanato também foi explorada pela ilustradora, que executou suas ilustrações com bordados utilizando fuxicos, tecidos, linhas, miçangas, botões, bijuterias e uma infinidade de materiais que fizeram com que as ilustrações ficassem impregnadas das mesmas características que os trabalhos de artesanato popular. A paleta de cores escolhida para as ilustrações deixou o trabalho muito harmonioso com o texto.

Pensando em termos de exploração do conteúdo manifesto no livro, ou seja, o que está descrito de forma literal, o livro será melhor explorado, embora muito suavemente em relação ao texto e às ilustrações, por crianças das séries finais dos primeiros anos do Ensino Fundamental (4º e 5º anos, antigas 3ª e 4ª séries). As crianças menores, por não conhecerem tantos elementos da tradição oral, podem ter alguma dificuldade de compreensão da obra, embora, nessa situação, o livro possa vir a se tornar um valioso recurso para levá-las a conhecerem o universo da tradição oral brasileira.

A obra vem acompanhada por um suporte de exercícios para depois da leitura, o Desvendando a leitura. Vale a pena pontuar que tal material didatiza o texto e que o leitor precisa ir além dele. Isso significa que cabe ao orientador levar as crianças a perceberem o encantamento da obra.

Nesse sentido, o professor que conseguir levar as crianças a se encantarem pela obra fará com que o livro, enquanto obra literária, cumpra o seu papel social e formador no cotidiano do mundo em que vivemos.

cubos