Edição 14

O livro da vez

Água de beber, água de viver

Fabiana Barboza

Propomos Água de beber, água de viver para ser o livro da vez, por se tratar de uma obra sobre a Campanha da Fraternidade – 2004.

A autora do livro, Therezinha M. L. da Cruz, é muito sábia ao tratar o tema água com seriedade (quando apresenta dados estatísticos e alarmantes sobre o problema) e leveza (quando faz citações, em especial, de textos relativos às diversas religiões), tornando o livro gostoso de ler.

Outro ponto que deve ser enfatizado é o tratamento das informações científicas. Como dados precisos são “secos”, o texto instiga o leitor a fazer comparações, deduções, enfim, trabalha os raciocínios lógico-matemático e dedutivo. Na verdade, o livro tem uma proposta de interagir com o leitor, passando a ser um ponto de partida para uma busca maior. Inclusive, outras obras são citadas, para que o leitor tenha novas referências sobre o assunto.

As ilustrações são realmente deliciosas e, por vezes, bastante significativas, como a do planeta Terra, desesperado por causa da poluição, na página 23. Pode-se, ainda, partir delas para abordar problemas sociais, como as das páginas 10, 11 e 20.

O livro, por si só, já é um excelente material, seja usado para trabalho pedagógico, para buscar informações ou para, simplesmente, apreciar a leitura. Mas, se você quiser fazer atividades direcionadas em sala de aula, aí vão algumas dicas com propostas para antes, durante e depois da leitura.

Antes da leitura:

1. Trabalhe, com os alunos, textos (músicas, notícias, boletins informativos, folders, etc.) sobre a água. É interessante ter acesso a panfletos distribuídos pelas companhias estaduais de abastecimento e tratamento. Depois, faça uma sistematização das informações encontradas.

2. Proponha aos alunos fazerem registros sobre o que eles acham que vão encontrar no livro. Realizar o levantamento de hipóteses é sempre bom. Essa atividade pode ser feita a partir da apresentação do título, quando o professor sugere que os próprios alunos escrevam o livro deles.
3. Promova uma contação de história de cada livro criado. Essa é uma forma lúdica de socializar as produções feitas.

Durante a leitura:

1. Procure estimular os alunos a comprovarem as informações que escreveram em seus próprios livros e as informações do Água de beber, água de viver.
2. É interessante realizar uma pesquisa quando for a ocasião de responder às perguntas do livro, ou, pelo menos, compartilhar novas informações interessantes, que podem ser dados, fotografias, poesias, reportagens, etc.
3. Escolher dinâmicas de leitura para aplicá-las durante a leitura é uma forma descontraída de torná-la mais prazerosa.

Depois da leitura:

1. Procure não “didatizar” o livro. Lembre-se: ele é uma ferramenta para o seu trabalho. Estimule os alunos a recontarem a história, a criarem novas histórias, a fazerem relação com sua vida cotidiana. Nesse momento, atividades desse tipo são mais importantes, pois queremos formar leitores.
2. Aproveite a oportunidade e parta do livro para o estudo de outros problemas, tais como: seca, irrigação, reforma agrária, êxodo rural, guerras, enfim, são tantos que nem dá para listar…

Bem, o importante é fazer com que seus alunos sintam prazer em ler, que eles tenham o livro como um aliado, um amigo, uma diversão.

Então, divirta-se!

cubos