Edição 111

Em discussão

Atividades para o apoio do aluno com autismo

Luciana Fernades Duque

CONTEÚDO:

Nome próprio (foco na alfabetização).

Atividades:

1) Jogos concretos e por fichas.
2) Exercícios de organização/pareamento.
3) Estimulação dos sentidos.
4) Valorização dos movimentos.

objetivos:

1) Proporcionar o reconhecimento do nome próprio e das letras do alfabeto.
2) Estimular e incentivar a escrita de diferentes formas.
3) Propiciar a comunicação
(verbal e não verbal).

1 – Escreva o nome da criança e faça uma plaquinha (informação visual). A plaquinha pode ser colocada junto com uma foto dela. Use o material dentro de sala de aula para consulta, fixado no mural ou como crachá. Além da sala de aula, você pode expor a plaquinha em locais onde a criança costuma frequentar. Por exemplo: um aluno que tem mais dificuldade de atenção gosta de ir ao balanço do parque da escola durante as atividades. A plaquinha exposta no balanço serve como estímulo, memorização e associação do nome. Dica: é importante aproveitar o material que se tem para ressignificar certos comportamentos da criança.

2

2 – Explore o tato: toque e ensine o seu aluno a tocar em pessoas e objetos. Para ensinar o nome, por exemplo, você pode utilizar letras com texturas em lixa; pode dizer “VOCÊ É O JOÃO!” e sinalizar com o dedo tocando-o.3

3 – Cante músicas envolvendo o nome das crianças. A música do “roubou pão” é uma boa alternativa.

- Gabriela roubou pão na casa de João!
­ Quem eu?
­ Você!
­ Eu não!
­ Então quem foi?
­ Foi a Isabele!

4 – Faça uma brincadeira! Cole, no chão da sala de aula ou em outro lugar que preferir (quadra, parque), diversos nomes, inclusive o da criança em questão. O jogo consiste em deixar a criança correr e pular sobre o seu nome quando o encontrar. Você poderá adicionar uma foto ou não. Isso dependerá do desafio que se quer proporcionar ao aluno (atividade que proporciona a informação visual + o movimento corporal).

5 – Valorize movimentos repetitivos!4

Alguns alunos com autismo costumam balançar as mãos ou o corpo com bastante frequência. Ofereça estímulos sonoros associando as letras do nome/alfabeto. Exemplo: garrafas sensoriais com as letras do nome coladas nelas ou potinhos com areia dentro seguindo a mesma proposta. Assim, a criança explora o objeto realizando seus movimentos repetitivos, sendo despertada por algo novo, com significado.

6 – Explorar diferentes jogos concretos que possam trabalhar com o nome próprio. Letras móveis de madeira e fichas plastificadas são excelentes opções, já que possuem mais durabilidade e correm pouco risco de serem danificadas. Use e abuse de fichas ou cartões com figuras, letras e palavras.

7 – Aproveite os recursos da estimulação sensorial para incentivar a escrita/registro (areia do parque, massinha, tinta, entre outros materiais).

8 – Atividades de organização/pareamento.

Crianças com autismo costumam gostar de atividades em que a organização e o pareamento são os objetivos principais.

Luciana Fernandes Duque é doutoranda em Educação Especial pela Universidade de Lisboa (FMH), Mestre em Educação/Distúrbios do Desenvolvimento, psicopedagoga clínica, presta assessoria em Inclusão Escolar e é autora de livros e artigos na área de educação/inclusão/psicopegagogia. Youtube: Luduke EIR l Facebook: LUDUKE l E-mail: luduke.geral@gmail.com

cubos