Edição 22

Matérias Especiais

Biodiversidade: o paraíso é aqui

Quando os portugueses aportaram pela primeira vez no Brasil, ficaram maravilhados com a quantidade de flores, frutos, árvores, pássaros e animais. Hoje, esse encantamento envolve pesquisadores das melhores universidades do mundo. A natureza passou a ser uma das maiores — se não a maior — riquezas do Brasil.
A responsabilidade de conservar e proteger esse fabuloso patrimônio genético se tornou urgente. Nas nossas florestas, pode estar a cura de várias doenças, na forma de remédios desenvolvidos à base de plantas. Encontram-se também sementes selvagens de frutos e grãos comestíveis que, com os cruzamentos genéticos, estão fortalecendo e aprimorando alimentos já existentes. Lucros gerados pela utilização desses recursos biológicos poderiam financiar programas de conservação, revertendo-se também em benefícios aos chamados povos da floresta, assegurando sua sobrevivência. Para que isso aconteça, alguns passos já foram dados. O Brasil foi o primeiro país a assinar a Convenção sobre Diversidade Biológica,que regulamenta seu uso no mundo,proposta durante a Conferência do Rio (Eco 92).Também criou o Programa Nacional de Diversidade Biológica (Pronabio), que, entre outras atividades, financia pesquisas sobre conservação e utilização sustentável da biodiversidade no País. Outro avanço importante foi a aprovação, em novembro de 1998,da lei proposta pela senadora Marina Silva, que combate a biopirataria, isto é, o roubo de plantas e microrganismos para a fabricação de remédios em laboratórios internacionais. É o começo da conscientização brasileira em relação à sua própria riqueza, por tanto tempo ignorada.

Biodiversidade via Internet

Informações a respeito da biodiversidade brasileira podem ser coletadas via Internet em vários sites de organizações não-governamentais. A Base de Dados Tropical reúne análises e descrições dos ecossistemas e suas espécies características de flora e fauna, relatórios acerca dos workshops mais recentes realizados sobre a biodiversidade do Brasil e links vinculados aos sites de várias ONGs. O endereço é www.bdt.org.br. Outros dados estão contidos nos seguintes sites: Fundação Biodiversitas (www.biodiversitas.org), Conservação Internacional (www.conservation.org.br) e Instituto Socioambiental (www.socioambiental.org/parabolicas/). Informações internacionais são encontradas no site da Environews (www.envirolink.org).

Ações concretas – Para acompanhar projetos que tratam da biodiversidade, um bom caminho é se associar a uma ONG. Alguns telefones: Fundação SOS Mata Atlântica (11) 887-1195, Greenpeace Brasil (11) 282-5500, WWF (61) 248-2899.

Projetos de conservação do Ibama:

- Centro Nacional de Conservação e Manejo das Tartarugas Marinhas (Projeto Tamar).
- Centro Nacional de Conservação e Manejo de Quelônios da Amazônia (Cenaqua).
- Centro Nacional de Conservação e Manejo dos Carnívoros Predadores (Cenap).
- Centro Nacional de Conservação e Manejo de Sirênio (Projeto Peixe-boi).
- Centro de Pesquisas para a Conservação das Aves Silvestres (Cemave).
- Centro Nacional de Estudos e Manejo de Cavernas (Cecave)

tamar-02

Em colaboração com outras instituições, o Ibama desenvolve os seguintes projetos:

- Projeto Lontra (Santa Catarina).
- Projeto Baleia Jubarte (Parque Nacional Marinho de Abrolhos).
- Projeto Golfinho-rotador (Arquipélago de Fernando de Noronha).
- Projeto Mamíferos Marinhos do Litoral Sul (Rio Grande do Sul).

Fonte: Terra – Mapa-poster da Biodiversidade – Edição 85

cubos