Edição 33

Cartas à redação

Cartas à redação

Sou coordenadora pedagógica do Colégio Coped (Cooperativa Parnaibana de Educadores), em Parnaíba, e também da Escola Primeiros Passos, em Luís Correia, ambas localizadas no Piauí, e já faz algum tempo que sou beneficiada com a revista Construir Notícias. Nem dá para destacar o que há de melhor ou de mais importante nessa revista, pois ela é simplesmente um E S P E T Á C U L O de tão interessante e motivadora. Isso porque eu, como educadora, sinto-me todos os dias como um pão para sanduíche, aberto para o recheio do dia seguinte — por isso, preciso estar abastecida para suprir as necessidades de nossos educadores.

Quero, portanto, parabenizar a revista Construir Notícias por tudo de maravilhoso com que tem nos enriquecido e, em especial, a Lá vem história... Lilito, um amor de caracol, de Sandra Diniz Costa, na edição de nº 29.

Nome: Nanci Costa da Silva
Local: Parnaíba/PI

Sou leitora fascinada pela revista Construir Notícias, que, cada vez mais, nos surpreende com assuntos de extrema relevância no dia-a-dia de educadores que realmente estão preocupados em implantar uma educação de qualidade em nossas escolas. Não tem como deixar de apreciar uma revista tão instigante, pois, depois que a gente conhece, se apaixona por ela. Ficamos ansiosas por recebê-la. Parabéns!

Nome: Elizângela Torres de Souza
Local: Colégio Coped – Parnaíba/PI

Sou professora do Colégio Cemaly, em Amargosa, Bahia. Quero dizer que sou privilegiada por receber a revista Construir Notícias, que é uma revista notável. Vocês estão de parabéns. Há muito tempo não leio uma revista tão maravilhosa, que contenha todos os ingredientes necessários para estarmos sempre atualizados com os assuntos que são polêmicos no nosso dia-a-dia de professor.

Confesso que a edição de setembro/outubro/06 trouxe uma questão que chamou mais ainda a atenção: a questão do ser professor. Para que ensinar, se professor não vale nada? Adorei a matéria, pois ela fala a realidade.

Nome: Rosélia Pereira dos Santos
Local: Amargosa/BA

Sou diretor da Educação Infantil e gostaria de parabenizar pela belíssima revista Construir Notícias, pois é uma ferramenta que enriquece os meus trabalhos pedagógicos e administrativos, e venho recomendado-a a todos os meus colegas profissionais de Educação.

Nome: Francisco Adalberto Barbosa
Local: Riacho de Santana/RN

Sou professora, dirijo uma escola do berçário à 4ª série e, a cada dia, me alegro e me orgulho de poder partilhar com a brilhante editora os livros didáticos que adoto. Bimestralmente, recebo a revista Construir Notícias, cujo conteúdo sempre está atualizado, com matérias informativas e fantásticas, do mais alto nível. Parabéns por todos os artigos publicados e pela maravilhosa produção dos livros didáticos. Somente pessoas especiais como vocês é que fazem a diferença na educação e no progresso de um país como o nosso, que tanto necessita de profissionais capazes, dedicados, sérios...

A Editora Construir faz jus ao nome, construindo, a cada dia, um mundo melhor e mais promissor.

Nome: Rosa Muniz Gonçalves – Diretora do Livisa
Local: Rio de Janeiro/RJ

Minhas felicitações aos que fazem a Editora Construir!!! Sou cubana e pedagoga. Fiquei surpresa ao conhecer, através de uma amiga pedagoga, a revista Construir Notícias. Tenho o prazer de lhes escrever, para que conheçam a minha opinião: os artigos têm excelente qualidade, e acredito estarem ajudando a otimização da educação pedagógica no Brasil. A visão da Editora Construir pode, em longo prazo, tornar o Brasil um país referencial na Educação. Parabéns!

Nome: Tamar Pérez Pérez
E-mail: tamarperezperez@bol.com.br

Acredito, sim, que a inclusão de pessoas com deficiências física e mental seja um grande passo para uma revolução social com a ajuda da escola e dos profissionais de Educação. Como educadora, estou aberta às mudanças, pois entendo que elas fazem parte da evolução humana. Por outro lado, questiono a falta de preparo desses profissionais para lidar com essa nova clientela. A priori, os educadores, bem como toda a escola, devem ser e estar preparados para receber esses alunos com deficiência, e não acredito que esse discurso generalize a falta de vontade ou de competência de alguns profissionais. Entretanto, há de se considerar que preparar a comunidade escolar, a fim de lidar com essa nova possibilidade, é de suma importância e, com certeza, é uma maneira de garantir, realmente, um início de revolução social. Afinal, somos todos capazes! Parece que a bola da vez é “inclusão”. Como profissional da Educação, estou, e devo estar, aberta às mudanças, pois a educação é mola mestra das revoluções.

Nome: Cida Moraes
E-mail: cyddamoras@hotmail.com
Matéria: Novos caminhos da inclusão/Construir Notícias nº 31
cubos