Edição 51

Dicas de filmes

Dicas de filme

Os Anos JK – Uma Trajetória Política

1954: suicídio de Getúlio Vargas. 1955: crise política ameaça a posse do presidente eleito, Juscelino Kubitschek. 1956: JK assume a Presidência. Promete democracia e desenvolvimento. Supera crises e crises. Começa a construção de Brasília. O Brasil muda de tom. 1960: JK inaugura Brasília. 1961: JK dá posse a seu sucessor, Jânio Quadros. Sete meses depois, Jânio renuncia. Crise. 1964: Golpe Militar instaura ditadura. JK é cassado. Dez anos de história. Muitas crises. O governo JK é um exercício de democracia. O Brasil ferve. Os Anos JK. Ver para não esquecer. Margarida de Prata, CNBB Festival de Gramado – Melhor Montagem, Prêmio Especial do Júri, Associação Paulista de Críticos de Arte - Melhor Montagem.

Favela Rising

Jovem morador de Vigário Geral, no Rio de Janeiro, Anderson Sá chegou a flertar com a vida do crime. Mas afastou-se ao entrar em contato com as oficinas promovidas pelo AfroReggae, tornando-se vocalista da banda de mesmo nome e um dos principais porta-vozes do tipo de intervenção social promovida pela ONG do grupo. Ou seja, criam-se alternativas em atividades sociais e culturais que podem oferecer um contraponto à atração exercida pelo aparente sucesso fácil na vida de soldados do tráfico. O hip-hop e a dança tornam-se, assim, armas da comunidade contra a violência tanto dos barões do tráfico quanto da polícia corrupta. Nesse retrato, as favelas cariocas aparecem não só como espaço de pobreza, mas como local de criatividade, encontro e resistência.

Intervalo Clandestino

Em ano de eleição, a esperança parece estar acima de tudo na voz e no coração do povo. Espera-se superar crises e o anúncio de novos tempos com a escolha dos governantes que cuidarão do futuro da Nação. Na prática, entretanto, não funciona dessa maneira. Intervalo Clandestino faz uma tentativa de extrair das pessoas tudo o que esse momento pré-eleitoral representa no imaginário e no cotidiano da população. Os personagens discutem diante das câmeras o provável futuro político do Brasil.

Língua – Vidas em Português

Todo dia, duzentos milhões de pessoas levam sua vida em português. Fazem negócios e escrevem poemas. Brigam no trânsito, contam piadas e declaram amor. Todo dia, a língua portuguesa renasce em bocas brasileiras, moçambicanas, goesas, angolanas, japonesas, cabo-verdianas, portuguesas, guineenses. Novas línguas mestiças, temperadas por melodias de todos os continentes, habitados por deuses muito mais antigos e que o português acolhe como filhos. Língua da qual povos colonizados se apropriaram e que a devolvem, agora, reinventada. Língua que novos e velhos imigrantes levam consigo para dizer certas coisas que,nas outras, não cabem.

Do Luto à Luta

O longa-metragem focaliza as deficiências e as potencialidades dos portadores da Síndrome de Down, problema genético que atinge cerca de 8 mil bebês, a cada ano, no Brasil. O documentário mostra o mundo sob a ótica de um ser humano “downiano”, que tem uma visão muito peculiar e engraçada, sensorial e prazerosa, revelando um lado da espécie humana que costuma ser colocado para escanteio pela sociedade de um modo geral.

Fahrenheit 451

Num futuro hipotético, os livros e toda forma de escrita são proibidos por um regime totalitário, sob o argumento de que fazem as pessoas infelizes e improdutivas. Se alguém é flagrado lendo, é preso e “reeducado”. Se uma casa tem muitos livros e um vizinho denuncia, os “bombeiros” são chamados para incendiá-la. Montag é um desses bombeiros. Chamado para agir numa casa condenada, ele começa a furtar livros para ler. Seu comportamento começa a mudar, até que sua mulher, Linda, desconfia e o denuncia. Enquanto isso, ele mantém amizade com Clarisse, uma mulher que conhecera no metrô. Ela o incentiva e, quando ele começa a ser perseguido (e morto, segundo a versão televisiva oficial), ela o leva à terra dos homens-livro, uma comunidade formada por pessoas que memorizam seus livros e que também eram perseguidas. Essas pessoas decoravam os livros para publicá-los quando não fosse mais proibido ler.

cubos