Edição 69

Dicas de filmes

Dicas de filmes

Desmundo

O filme convida a uma reflexão sobre o caldo racial e cultural que ajudou a forjar o País e seu povo e sobre a condição da mulher em nossa sociedade. Oribela (Simone Spoladore) faz parte de um grupo de jovens órfãs enviadas ao Brasil pela rainha de Portugal, em 1570, para casar com colonizadores. Aprisionada pela teia familiar do marido (Osmar Prado), homem bruto que mantém estranhas relações com as mulheres de casa, ela busca desesperadamente uma forma de se libertar.

Baseado em um romance homônimo de Ana Miranda, o roteiro — assinado pelo diretor Alain Fresnot e pela escritora Sabina Anzuategui — foi escrito a partir de pesquisa sobre a língua falada no Brasil no final do século XVI. Para evitar que o espectador perca diálogos, Desmundo estreou nos cinemas com legendas em português, opção também prevista no DVD, que traz bom material extra, como making of e depoimentos dos realizadores.

Mandela – Luta pela Liberdade

Retrata os anos de cárcere do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, durante o regime de apartheid, de acordo com as memórias do oficial branco encarregado de vigiá-lo.

A Pequena Jerusalém

Pequena Jerusalém é o apelido do subúrbio de Paris habitado pela primeira geração de imigrantes judeus. Laura (Fanny Valette, Prêmio César de Atriz Revelação em 2006) é uma dedicada e tímida estudante de Filosofia que contesta as tradições de sua família ortodoxa à medida que se aproxima de Djamel (Hedi Tillette de Clermont-Tonnerre), um imigrante ilegal muçulmano. Os conflitos entre judeus e muçulmanos, transportados para a França, entremeiam a descoberta da sexualidade e a liberdade das mulheres dessa família judaica.

O Diário de Anne Frank

A épica adaptação para as telas — assinada por George Stevens — de um dos mais comoventes documentos surgidos após a 2ª Guerra Mundial: o diário de uma garota judia de 13 anos de idade, chamada Anne Frank. Para escapar dos horrores da perseguição nazista, Otto Frank (Joseph Schildkraut) escondeu sua esposa (Gusti Huber) e suas duas filhas, Anne (Millie Perkins) e Margot (Diane Baker), em um sótão desocupado em Amsterdã por dois anos. Lá, também escondidos, estavam o Sr. e a Sra. Van Daan (Lou Jacobi e Shelly Winters), seu filho Peter (Richard Beymer) e um dentista, o Sr. Dussel (Ed Wynn). Em seu diário, Anne registra as dificuldades e os medos das pessoas à sua volta, que tentavam viver uma vida normal, mesmo confinadas no minúsculo sótão, estando todo o tempo sob ameaça de serem descobertos pela Gestapo. O estresse e a tensão quase insuportável da situação são habilmente expostos nesse filme marcante e tocante, vencedor de três prêmios Oscars.

cubos