Edição 31

Dicas de filmes

Dicas de filmes

Nenhum a Menos

O professor Gao tira licença para cuidar da mãe doente, e a única pessoa que aceita substituí-lo é uma garota de treze anos. Como a evasão escolar é um dos males locais, Gao oferece um adicional no salário caso ela consiga evitar que mais alunos deixem a escola. Quando o pestinha Zhang Huike (Huike Zhang) abandona a classe para ir trabalhar na cidade e, assim, ajudar a família, a “professora” parte desesperada em seu encalço. É um filme sincero, delicado e comovente, que levou, com justiça, o Leão de Ouro no Festival de Veneza de 1999.

Click

Adam Sandler é um arquiteto que encontra um controle remoto universal que lhe permite adiantar ou retroceder para momentos diferentes de sua vida. As complicações surgem quando o controle começa a recusar as escolhas que ele faz.

Amadeus

Após tentar se suicidar, Salieri (F. Murray Abraham) confessa a um padre que foi o responsável pela morte de Mozart (Tom Hulce) — um jovem irreverente, mas que compunha como se sua música tivesse sido abençoada por Deus — e relata como o conheceu, conviveu com ele e passou a odiá-lo.

Escola da Vida

Há um novo professor na cidade, e ele está promovendo um verdadeiro pandemônio na Fallbrook Middle School. Ele é atraente, simpático e informal. Os alunos amam o Sr. D (Ryan Reynolds, de Horror em Amityville). Os professores também o admiram... com exceção de Matt Warner (David Paymer, de Em Boa Companhia), o ansioso professor de Biologia que sonha em ganhar o prêmio de Professor do Ano. Seu pai, Stormin Norman (John Astin, de Os Espíritos), foi Professor do Ano durante 43 temporadas seguidas, e Matt está determinado a fazer deste o seu ano. Mas com o Sr. D (Michael D’Angelo) em cena, Warner vê sua chance escapar. Ele não consegue competir com quem até seu próprio filho admira. Mas há um segredo que pode mudar o jogo e ensinar a todos uma lição da qual nunca esquecerão.

Um Amor de Professora

Em Nova York, James Gannon (Clark Gable), o editor do Evening Chronicle, nunca cursou o 2º Grau e acredita que a única forma de aprendizado é a “escola da vida”. Assim, manda uma carta ríspida ao “professor” Stone, quando este o convida para dar uma palestra na faculdade. Porém, seu chefe lhe explica que se trata de uma professora e o obriga a pedir desculpas, pois o dono do jornal é membro do conselho da faculdade. Então, Gannon tenta consertar a situação, mas, antes que possa dizer qualquer coisa, vê a carta que ele tinha enviado ser lida pela professora Erica Stone (Doris Day), que o ridiculariza. Mesmo assim, ele se sente atraído por ela e se torna seu aluno sem revelar sua identidade. Logo se destaca entre seus colegas de classe, deixando Erica entusiasmada, mas alguns problemas surgem para James enquanto ele tenta conquistá-la.

Equilibrium

Nos primeiros anos do século XXI, aconteceu a 3ª Guerra Mundial. Aqueles que sobreviveram sabiam que a humanidade jamais poderia resistir a uma quarta guerra e que a natureza volátil dos humanos não podia mais ser exposta. Então, uma ramificação da lei foi criada, o Clero Grammaton, cuja única tarefa é procurar e erradicar a real fonte de crueldade entre os humanos — a capacidade de sentir —, pois há a crença de que as emoções foram culpadas pelos fracassos das sociedades do passado. Dessa forma, existe um Estado totalitário, a Líbria, comandado pelo “Pai” (Sean Pertwee), que só aparece por meio de telões. Foi decretado que os cidadãos devem tomar diariamente o Prozium, uma droga que iguala o nível emocional. As formas de expressão criativa estão contra a lei, sendo que, ao violar qualquer regulamento, a não-obediência é punida com a pena de morte. John Preston (Christian Bale) é um Grammaton, um oficial de elite da lei, que caça e pune os “ofensores”, além de ter poder para mandar destruir qualquer obra de arte. Um dia, acidentalmente, Preston não toma o Prozium. Pela primeira vez, ele sente emoções e começa a fazer questionamentos sobre a ordem dominante.

O Xangô de Baker Street

Rio de Janeiro, 1886. A diva francesa Sarah Bernhardt (Maria de Medeiros), pela primeira vez, se apresenta no Brasil, deixando a elite do País ainda mais interessada na cultura francesa. O público se curva perante o talento de Sarah, incluindo o imperador D. Pedro II (Cláudio Marzo), que lhe conta um segredo: um valioso violino Stradivarius, um presente seu à baronesa Maria Luíza (Cláudia Abreu), desaparecera misteriosamente. Sarah, então, sugere que o imperador convide o famoso detetive Sherlock Holmes (Joaquim de Almeida) para investigar o caso — sugestão esta prontamente seguida. Enquanto isso, um assassinato choca a cidade e deixa em pânico o delegado Mello Pimenta (Marco Nanini). Uma prostituta fora assassinada e teve suas orelhas decepadas e uma corda de violino estrategicamente colocada em seu corpo pelo assassino. Enquanto o delegado busca pistas para capturar o perigoso assassino, que passa a cometer crimes seguidamente, Holmes e seu fiel parceiro, Watson (Anthony O’Donnell), desembarcam no Rio de Janeiro sem saber dos perigos que os esperam: feijoadas, vatapás, pais-de-santo e o poder de sedução das mulatas locais.
cubos