Edição 13

Dicas de leitura

Dicas de leitura

 

Artes, histórias e mitos do Natal

A coleção Oficina de Idéias apresenta uma proposta diferenciada para comemorar datas especiais com arte e sensibilidade. São inúmeras sugestões de objetos decorativos e presentes que estimulam a criatividade de crianças e adultos. Além da explicação para a confecção das peças e das fotos coloridas, há também dicas de gincanas, canções, poemas e histórias, para que a data seja comemorada plenamente sob todos os aspectos.

Este volume traz sugestões para o Natal: presépios, árvores, enfeites, presentes, cartões e muito mais. Aproveite para soltar sua imaginação e personalizar, de um modo carinhoso, a festa de sua família, de sua escola ou de sua comunidade.

Natividade Pereira é irmã Paulina, baiana, artista plástica e graduada em Filosofia. Há muitos anos, trabalha com arte-educação em escolas e comunidades de todo o Brasil. Apresenta, esporadicamente, um quadro no programa infantil da Rede Vida de Televisão e participa, como convidada especial, de programas de outras oito emissoras regionais de televisão. Seu carisma pessoal é despertar criatividade e alegria por meio da arte.

Natividade Pereira
Editora Paulinas
 

Brincando Adivinhas

Adivinhe onde está a poesia agora?! Está aí, juntinho de você. Está brincando de adivinhas... como esse livro. Nele, Lenice Gomes explora os limites entre a prosa e a poesia e revela, numa história encantadora, que as pessoas formam um vasto universo poético.

Unindo figuras distintas, distantes, a poetisa abre as cortinas de um circo e deixa transparecer as influências que as brincadeiras infantis e populares exercem sobre o mundo, como se ele próprio fosse um grande circo.

Entre adivinhas e brincadeiras, os personagens desse livro demonstram a beleza da poesia.

Francisco Mesquita.

Lenice Gomes
Editora Paulinas
 

Quando eu Digo Digo Digo

As brincadeiras populares infantis sempre serviram de mote para os grandes poetas. Lenice Gomes sabe disso muito bem e faz valer as suas próprias experiências na constituição de uma poesia madura e doce, como os frutos gostosos de nossa infância, brincando com as palavras por meio das cantigas, adivinhas, etc. Buscando reconstituir a magia dessas brincadeiras, esse livro surge com o vigor e a beleza dos momentos mais poéticos de nossas vidas. E tenho dito!

Francisco Mesquita.

Lenice Gomes
Editora Paulinas
 

O Tempo Perguntou pro Tempo

O tempo passa depressa e só pode ser aprisionado na nossa memória... e, nela, estará sempre se renovando. É partindo desse pressuposto que Lenice Gomes constrói sua poesia: buscando, nas lembranças e brincadeiras da infância, o motivo maior da construção poética.

Dessa forma, a poetisa incorpora os ritmos populares e dá-lhes nova vida, obedecendo às regras do verbo — que se faz carne e se faz vida. Aqui, a poesia lança-se sobre o tempo e alcança novos ares, novas terras, novos mares, fazendo-se eterna.

Francisco Mesquita.

Lenice Gomes
Editora Paulinas
 

Trem chegou, trem já vai

Dizem que o mineiro tem o maior estômago do mundo: “— Vou ali comer um trem”, ele diz. É que, em Minas, trem pode ser qualquer coisa. E trem de comer tanto pode ser feijão-tropeiro ou frango com quiabo como uma colher ou um garfo. Trem de pôr na cabeça tanto pode ser chapéu como um pensamento. Trem de doido, então!, tanto pode ser loucura de alguém como alguma coisa muito gostosa. Assim é que, em Minas Gerais, lugar onde eu nasci e vivo, todo mundo adora um trem. Até o próprio trem — trem mesmo: trem de ferro! E eu, que cresci ouvindo o barulho do trem de ferro passando lá longe, até hoje sinto um trem aqui dentro, toda vez que me lembro dum trem... Ô trem bão, sô!... José Carlos Aragão
José Carlos Aragão Editora Paulinas
cubos