Edição 24

Dicas de leitura

Dicas de Leitura

Educar para a Solidariedade

Nos últimos tempos, têm havido debates sobre o futuro da Educação em todo o mundo, preparando homens e mulheres para o século 21. As grandes organizações do mundo insistem na necessidade de um rearmamento moral, de uma educação em valores contraposta à educação técnica de muitos países ricos e desenvolvidos do planeta. Infelizmente, o aumento da informação, com as modernas tecnologias da comunicação, não tem levado a um aumento das redes de solidariedade.

Educar para a Solidariedade é uma aproximação didática aos valores da solidariedade internacional dentro do contexto mundial da assimetria entre países pobres e ricos.

Educar para a Solidariedade
Projeto didático para uma nova cultura de relações entre os povos
Autor: Leandro Sequeiros
Editora: Artmed
Ano de publicação: 2000

Educar Valores e o Valor de Educar Parábolas

Educar, não nos esqueçamos, é conceber pessoas autênticas, livres e solidárias; é forjar vontades, alimentar espíritos, moldar corações. As parábolas podem ajudar muito nessa missão.

Nas numerosas palestras, conferências e oficinas que realizou nos últimos anos, o autor foi incorporando uma série de contos pedagógicos, pois observava que o público os escutava com prazer e atenção e, numerosas vezes, recordava-os depois, com gratidão, o que evidenciava que os contos tinham causado impacto e ajudado a adquirir aprendizagens importantes. Algumas pessoas chegavam a insistir que ele os publicasse. É isso o que faz por meio desse livro.

Depois de cada uma das parábolas, Antonio Esclarín faz um pequeno comentário pedagógico para facilitar sua utilização e seu melhor aproveitamento. As parábolas estão dispostas não tanto para serem lidas de um único fôlego, mas para serem refletidas, recriadas e saboreadas calmamente.

Autor: Antonio Pérez Esclarín
Editora: Paulus
Ano de publicação: 2003 (2ª ed.)

Educação em Valores – Como Educar para a Democracia

O programa da Unesco Aprender para o Século XXI destaca quatro pilares da Educação do futuro: aprender a conhecer, aprender a atuar, aprender a viver juntos e aprender a ser. Essa obra dedica atenção especial à dimensão que se refere a aprender a viver juntos, a conviver.

Educação em Valores orienta os professores sobre como trabalhar em sala de aula o desenvolvimento da cidadania e de algumas qualidades essenciais aos alunos, como:

• A aceitação do pluralismo e da diversidade.
• O respeito e a tolerância.
• A capacidade e a predisposição para se colocar no lugar de qualquer outro, sentir o outro.
• O emprego do diálogo como enriquecimento mútuo e como solução de conflitos pela via do consenso.
• O fomento e o cultivo da identidade de cada pessoa, povo e cultura.
• O compromisso com o bem comum de caráter global para além do egocentrismo.
• O desenvolvimento de atitudes de cooperação entre comunidades, povos e culturas que nos ensinem a valorizar o local e o peculiar, no marco do pluralismo e da riqueza do global.

Autora: Glória Pérez Serrano
Editora: Artmed
Ano de publicação: 1997

Educação em Direitos Humanos Rumo a uma Perspectiva Global

O reconhecimento de um conjunto de problemas mundiais e a necessidade de dar-lhes soluções a partir da formação de uma cidadania capaz de afrontá-los positivamente têm guiado muitas das atuais reformas educacionais em todo o mundo. A Educação para a Paz, os Direitos Humanos e a Democracia têm se convertido em um referencial essencial tanto das políticas educacionais como das ações pedagógicas e constituem, como processo global da sociedade, um dos alicerces essenciais para a Cultura da Paz.

Essa obra descreve os princípios que sustentam a idéia de colocar a Educação a serviço da humanidade, apresentando algumas linhas de atuação que permitem pôr em prática essa educação inspirada nos valores contidos nos Direitos Humanos. Para facilitar essa tarefa, oferece aos leitores uma proposta curricular e exemplos de experiências educativas bem-sucedidas.

Autor: José Tuvilla Rayo
Editora: Artmed
Ano de publicação: 2004

Educare – Lidando com a Essência da Vida. Reflexões sobre a Saúde e Autocura Educacional

Para ser educador, é preciso despertar em si e nos alunos as categorias mais profundas de ser e de agir. O educador tem de viver o que ensina, precisa ser o que fala e o que pensa, senão os alunos rejeitarão as informações, os ensinamentos, como inconsistentes. O educador tem de viver os valores que pretende ativar nos estudantes, a fim de despertá-los para a aventura da transformação, para que sejam alegres, construtivos, centrados e felizes.

Autor: Paulo Marcelino
Editora: Vieira
Ano de publicação: 2004

Cenas do Cotidiano Escolar

Embora comumen-te encarado como negativo e destruidor, o conflito é necessário à vida, constitutivo tanto da vida psíquica como da dinâmica social. Sua ausência indica apatia, total submissão e, no limite, remete à morte. Sua não-explicação pode levar à violência. Ainda que possa se confundir com ela, conflito não é sinônimo de violência. A hipótese que move esse trabalho é a de que a análise dos conflitos constitui lente privilegiada para a compreensão da complexidade do cotidiano escolar.

Autora: Isabel Galvão
Editora: Vozes

A Linguagem do Afeto. Como Ensinar Virtudes e Transmitir Valores

“O verdadeiro sentido de uma educação com amor não deveria ser o acalanto do sonho de apenas desejar felicidade, mas de poder esmiuçar as pequeninas coisas que a estruturam e, serenamente, e a cada dia, construir o objetivo de saber buscá-la”, escreve Celso Antunes em Ensinar a Criança a Ser Feliz, um dos capítulos de seu livro A Linguagem do Afeto.

“Não se trata de um manual de pedagogia”, explica o educador. A idéia que guiou o autor foi a de mostrar aos pais e ao professor como é fácil e imprescindível ensinar às crianças bom humor, valentia, preservação ambiental, felicidade, liberdade, generosidade e muitos outros valores.

Autor: Celso Antunes
Editora: Papirus
Ano de publicação: 2005

Em Defesa da Escola

A arte de ser professor, a sala de aula como espaço mágico, de transformação da realidade, de recriação. Essas não são apenas belas expressões. São palavras que exprimem exatamente como se sentem e como encaram a educação os autores, dois apaixonados pela escola.

Livro de idéias pululantes, agudo em sua observação da relação entre a escola e o nosso tempo, em que os autores discorrem ainda sobre a ocasional inversão de papéis entre escola e família, sobre nossa expectativa de respeito e obediências, entre tantos outros temas.

Autores: Rosely Sayão e Julio Groppa Aquino
Editora: Papirus

Valores e Temas Transversais no Currículo. Coleção Inovação Pedagógica

Valores e Temas Transversais no Currículo traz informações sobre o conceito e a potencialidade dos temas transversais e apresenta experiências realizadas em diferentes instituições educativas na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio e as suas propostas globais.

Apesar de as experiências estarem relacionadas a diferentes temas, a maior parte dos textos traz elementos que também podem ser aplicados a outras temáticas e introduz aspectos suscetíveis de análise e de reflexão para rever o papel dos temas transversais e das atitudes em geral nas instituições educativas.

Autora: María Nieves Álvarez
Editora: Artmed
Ano de publicação: 2002

Pais Presentes, Pais Ausentes – Regras e Limites

O livro procura mostrar as conseqüências negativas de determinadas práticas educativas. Salienta as formas apropriadas de relacionamento entre pais e filhos que permitem às crianças e aos jovens crescerem saudáveis, bem como traz algumas alternativas e reflexões a fim de tornar essa tarefa mais fácil e agradável. Contribuir com a tarefa educativa é o objetivo fundamental desse livro. Educar passou a ser um instrumento poderoso nas mãos de cidadãos capazes de alterar o rumo da civilização moderna, reorientando-a para uma convivência pacífica e construtiva.

Autora: Paula Inez Cunha Gomide
Editora: Vozes
cubos