Edição 56

Dicas de leitura

Dicas de leitura

A comunicação ambiental como ferramenta rumo à sustentabilidade

A mudança que todos queremos e precisamos rumo a uma sociedade ambientalmente sustentável e socialmente mais justa, defende Vilmar S. D. Berna neste livro, não é obra do acaso, mas resulta de nossas escolhas, baseadas nas informações que recebemos, nos valores que nos motivam e nas ações e atitudes que tomamos concretamente. Se essas informações forem mentirosas, insuficientes ou manipuladas, certamente isso influenciará essas escolhas, e a mudança rumo à sustentabilidade poderá estar comprometida.

Segundo a opinião de 1.141 dos 1.337 delegados participantes da II Conferência Nacional de Meio Ambiente, que aconteceu em dezembro de 2005, a falta de informação sobre meio ambiente e educação ambiental está entre os três maiores problemas ambientais brasileiros!

Vilmar Sidnei Demamam Berna
Editora: Paulus

Dom Helder Camara: um modelo de esperança

Ao lembrar-se de Dom Helder Camara, é impossível não pensar na figura carismática, bondosa, miúda e sólida desse homem que, de um jeito substantivamente manso, foi adjetivamente irado. Irado de uma ira santa, pois fincou suas orações e práticas pacíficas no território comum aos bons profetas, que não se limitam à denúncia e são capazes de exercer o anúncio.

Este livro caminha pelas razões históricas, políticas e teológicas que colaboraram para que Dom Helder se fizesse como se fez. O autor destaca o homem, o religioso, suas circunstâncias, sua trajetória, os dramas e os enredos que conduziram esse ícone na direção de uma atividade pastoral progressiva, revolucionária, humanista e, por isso mesmo, profundamente cristã.

Temos, assim, a possibilidade de conhecer um pouco mais do caminho de esperança percorrido por Dom Helder ao longo de sua vida. A lembrança nos ajudará a manter acesa a chama da esperança para lutarmos constantemente na construção de um mundo mais justo e fraterno para toda a humanidade.

Martinho Condini
Editora: Paulus

Revista Diálogo

A Mãe Terra nos pede socorro! A resposta a esse apelo deve ser urgente, assim como o surgimento de uma nova consciência ecológica planetária. Com o foco na Educação, a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs, dos anos de 2005 a 2014, a Década das Nações Unidas para a Educação e o Desenvolvimento Sustentável. Essa proposta tem por objetivo orientar os estados-membros na implantação de projetos e políticas públicas que favoreçam a prática de ações sustentáveis, bem como abordar, nos diferentes âmbitos da Educação, os problemas sociais, econômicos, culturais e ambientais deste século.

Mas como articular o desenvolvimento socioeconômico e a sustentabilidade do planeta? Essa é uma questão discutida nacional e internacionalmente nas convenções que se propõem a estabelecer metas a serem alcançadas com relação ao meio ambiente. Assumir ações práticas sustentáveis é um fator decisivo a fim de possibilitar a sobrevivência das espécies e toda a biodiversidade, bem como dispor dos recursos naturais do planeta. Nesse sentido, a Educação Ambiental é um elemento vital e indispensável, uma vez que é a forma mais objetiva e eficaz de envolver as pessoas.

O cuidado com o meio ambiente sempre esteve presente nas culturas e tradições espirituais. Atualmente, essa questão deve fazer parte do ambiente escolar, de modo primordial no ensino religioso, assim como dos diversos ambientes. Enfim, deve levar as pessoas a se mobilizarem, seja por meio de ações, individuais ou coletivas, seja por campanhas, como a Campanha da Fraternidade, e discutirem sobre os problemas ambientais e quais ações ecologicamente corretas devem ser priorizadas.

Roseane Barbosa
Diretora de redação da Revista Diálogo
Revista de ensino religioso
Editora: Paulinas
cubos