Edição 26

Projeto Didático

Dicionário de deuses e heróis da mitologia grega – Profª Edith Chacon Theodoro

“O homem contemporâneo precisa, mais do que nunca, do encanto dos mitos em sua forma pura.”
Isabela Fernandes

A Grécia é considerada o berço da civilização ocidental, dela herdamos quase todas as artes e ciências aplicadas que conhecemos, como é o caso da Astronomia, Matemática, Engenharia, Arquitetura, Direito, Literatura, Filosofia, entre outras.
“Fundadores da chamada civilização ocidental, esses povos deram vida a um conjunto de deuses e narrativas a eles relacionadas, que tentavam explicar tudo aquilo que se constituía mistério: a origem da vida, os grandes conflitos humanos, as indagações sobre a existência [...] Assim, as antigas civilizações criavam as narrativas exemplares de seus deuses e heróis como forma de transmitir seu conhecimento, seus valores morais e éticos dentro de sua própria cultura e para outros povos.”
Para manifestar sua devoção aos deuses, os gregos faziam orações acompanhadas de oferendas e realizavam sacrifícios, pois a religião sempre esteve presente na vida dos gregos antigos. Em todos os seus lares, existia um altar onde ficava aceso o fogo sagrado. Diante dele ocorriam várias cerimônias religiosas diariamente. Além do culto doméstico, havia, na Grécia, a religião pública.
Além dos deuses, que eram imortais, também os semideuses ou heróis eram adorados, os quais apresentavam qualidades superiores às dos homens comuns. Viviam paixões, ódios, desafios e conquistas, além, evidentemente, de terem forças e poderes inatingíveis.
Até os dias de hoje, os mitos gregos permanecem vivos, oferecendo ensinamentos de muito valor. Segundo Zelita Seabra, “As figuras da mitologia grega iluminam nossas raízes, esclarecem-nos sobre nossa origem, nossa linguagem, nosso modo de ser e de pensar”.
Pesquisar, conhecer e se encantar com os deuses e heróis gregos foram desafios propostos para as 6ªs séries/2004. Nossos alunos leram Odisséia e Contos e Lendas da Mitologia Grega e, após discussões, criaram um jogo da memória e este dicionário, uma espécie de guia resumido para que todos possam entrar nesse mundo mágico.

O PROCESSO e a METODOLOGIA
ALUNOS ESCRITORES — DICIONÁRIO DA MITOLOGIA GREGA — JOGO DA MEMÓRIA
Profª Edith Chacon Theodoro

“O homem fez os deuses à sua semelhança e lhes deu seus costumes”
Aristóteles

No primeiro trimestre, os alunos das 6as séries leram, analisaram e demonstraram conhecimento sobre as características das lendas, em especial as míticas. Como, além de leitores, eles também são escritores, propusemos a elaboração de um jogo da memória, a fim de que ele fosse socializado entre as classes de uma forma lúdica. O jogo ficou muito bom, e como já haviam escrito o texto, foi elaborado um dicionário ilustrado e um site a fim de que eles fossem compartilhados com os demais alunos desta e/ou outras escolas.

Produtores de texto: alunos das 6as séries/2004.

Público alvo: Leitores que estejam interessados em mitologia grega.

Objetivos:
a) Elaborar um resumo contendo as principais características dos deuses e heróis da mitologia grega.
b) Incorporar o hábito da releitura, da revisão, da refação e do compromisso com o leitor, não se esquecendo de que, para que a comunicação se estabeleça, é necessário que determinadas regras e convenções sejam respeitadas.
c) Divulgar e despertar o interesse pelo gênero da lenda mítica, por meio de um jogo e/ou de um dicionário ilustrado.

Intenções:
a) Frente aos outros: ser lido com prazer.
b) Frente a si mesmo: se achar escritor, sentir prazer de escrever.

Modalidades de escrita:
a) Jogo da memória.
b) Dicionário ilustrado.

“O texto e a imagem, juntos, dão ao leitor o poder de criar na sua cabeça a única história que realmente interessa. A história dele.” (Livro infantil – Guto Lins – Ed. Rosari, pág. 31).

Escolha do material: Papel-cartão com cores variadas para a construção do jogo da memória, sulfite, lápis de cor, aquarela, recortes de revistas, tesoura, cola, fotocópia, etc. Vai depender do tipo da técnica escolhida. “Cada livro pede uma solução específica, da mesma forma que uma história nunca é igual à outra. (…) A criança interage com o livro como se fosse brinquedo, por isso, é recomendável que os livros sejam mais resistentes, tanto no material, quanto no acabamento.” (Livro Infantil – projeto gráfico, metodologia e subjetividade – Guto Lins – Ed. Rosari, pág.36 e 45).

Tempo de execução: de abril até agosto/2004.

Avaliação:
a) Avaliação parcial, durante o processo de escrita (compromisso com o trabalho, o grupo, a classe, a escrita, a ilustração, etc.).
b) Auto-avaliação individual e em grupo do processo e da produção final.
c) Avaliação do produto final.

Caberá a cada aluno elaborar uma produção de escrita relacionada com as características de um dos personagens do dicionário (deuses, seres e heróis da mitologia) e os dias de hoje. Essa produção passará por revisões, refações e o produto final comporá a última página do dicionário, que, por sua vez, poderá ser transformado em uma coletânea de textos… Mas isso já outra história, na medida em que uma história puxa outra.

RETOMANDO O PROCESSO / METODOLOGIA

“[...] É fazendo que se aprende (…) é escrevendo que se aprende a escrever
(e confrontando o que faz com suas leituras e sistematizando suas descobertas)”
(Formando Crianças Produtoras de Textos – Josette Jolibert)

1ª etapa

Lemos no mês de fevereiro um desses livros: Odisséia e Contos e Lendas da Mitologia Grega.
Lemos outros livros na biblioteca da escola, compartilhamos as leituras e nos preparamos para um debate. Nessa semana, cada um de nós sorteou um ser mitológico para ser pesquisado.
Pesquisamos individualmente sobre um ser mítico para ampliação de informações e posterior trabalho em grupo.
Socializamos essas informações.
Trabalhamos em grupo para a elaboração do resumo das características do personagem mítico.
Elaboramos rascunhos de desenhos e de molduras gregas (integração com a área de Matemática).
Nas aulas de Matemática, pesquisamos mais exemplos de molduras gregas.
Revisamos os textos antes de digitar.
Selecionamos os desenhos.
Elaboramos o jogo da memória. (Cada dupla e/ou trio se responsabilizou por um personagem.)

2ª etapa

Aproveitamos as sínteses digitadas para o jogo da memória e elaboramos um dicionário que seria doado para as bibliotecas (do nosso colégio e para a do município de Dirceu Arcoverde/PI).
Como havia mais de um ilustrador na 1ª etapa do trabalho e como nem todos puderam colocar o seu desenho no jogo da memória, aproveitamos esses rascunhos e as idéias para o Dicionário Ilustrado que seria doado para as bibliotecas.
Uma colega (Isabela da 6ª C) se responsabilizou pela apresentação do dicionário que cada aluno recebeu, para personalizá-lo.
Entregamos os cartões do jogo da memória para o nosso Laboratório de Informática, para que eles fossem colocados no site do Rainha.

3ª etapa

Cada aluno recebeu uma cópia do Dicionário Ilustrado, que deveria ser concluído (personalizado) e encadernado, para ser socializado e exposto na Mostra Cultural do colégio.
Em agosto, uma equipe de alunos e professores foi ao município de Dirceu Arcoverde/PI e levou nosso dicionário, assim como outros livros que fizemos, para a biblioteca dessa escola, com a qual estamos fazendo intercâmbio.
Cada um de nós teve de elaborar uma narrativa, cujo enredo estivesse relacionado com um fato da atualidade e com as características de um dos personagens do dicionário.
Esse texto passou por várias etapas: roteiro de idéias, 1ª versão da narrativa, releituras, novas versões, revisões, refações e auto-avaliações, até que cada um estivesse satisfeito com seu próprio texto.
Passamos a limpo, no dicionário, a nossa produção de escrita e socializamos nosso livro (agora personalizado) com nossos colegas.
Na primeira semana de setembro, cada classe esteve no Laboratório de Informática, fez uma revisão nesse texto que vocês estão lendo, registrou as alterações e entregou-as para que ele pudesse ser refeito.
Fizemos, também, algumas modificações nas ilustrações do dicionário que seria doado para a biblioteca da escola.
Expusemos esse material, juntamente com outros projetos literários, na Mostra Cultural do colégio e depois o entregamos à biblioteca do Rainha.

Esperamos que todos gostem. Nós gostamos!
Em seguida, selecionamos apenas alguns verbetes do dicionário elaborado pelos alunos das 6ª séries/2004.

pagina37

Fonte: Este projeto foi gentilmente cedido pela Escola Rainha da Paz (São Paulo),
em nome da Professora Edith Chacon Theodoro e dos alunos das 6as séries/2004.
Mais informações pelo site: http://www.rainhadapaz.com.br.

cubos