Edição 109

Editorial

Editorial

Prezado Educador,

Prezada Educadora.

“Encorajar é ensinar às crianças as habilidades vitais e as responsabilidades sociais de que precisam para ter sucesso na vida e nas relações: pode ser tão simples como um abraço para ajudá-las a se sentirem melhor e, assim, agirem melhor”, Jane Nelson.

A responsabilidade de educar crianças e adolescentes vem aumentando na mesma proporção em que cresce o desafio de entender que futuro é este que vem sendo arquitetado a cada dia, com a meta de ajudar pessoas a desenvolver habilidades sociais e de vida de extrema importância, como: autodisciplina, resolução de problemas, responsabilidade e cooperação. Todo esse aprendizado é um caminho sem volta na direção de transformações constantes
e conscientes. Um caminho para a conexão profunda entre pais, filhos e professores, entre qualquer um que experimente tentar.

Trabalhar as competências socioemocionais com crianças é levá-las a ter consciência de quem são, dos pontos fortes que têm para contribuir com a sociedade e de como podem trabalhar para desenvolver essas áreas.

Como já sabemos, competências socioemocionais são entendidas como: capacidade de mobilizar, articular e colocar em prática conhecimentos, valores, atitudes e habilidades para se relacionar com os outros e consigo mesmo, assim como estabelecer e atingir objetivos, tomar decisões e enfrentar situações adversas ou novas. Por exemplo, a colaboração, a autoconfiança e a resiliência.

A escola precisa alinhar seu currículo escolar com vivências sobre o socioemocional por meio de práticas de como usar emoções para transmitir ensinamentos e ter consciência de como elas influenciam nas decisões e nos comportamentos, para que possa efetivamente se envolver e influenciar os outros. “Indivíduos que são emocionalmente inteligentes costumam ser empáticos, podem olhar para situações de um ponto de vista alternativo, são considerados de mente aberta, recuperam-se de desafios e perseguem seus objetivos independentemente de quaisquer obstáculos que possam enfrentar”, segundo Sara Canaday.

Enfim, na sala de aula, o desenvolvimento das competências socioemocionais promove o aumento do rendimento escolar e a diminuição do problema da indisciplina.

Queremos que a leitura desta edição ajude você, educador e educadora, a refletir sobre sua prática profissional e a trabalhar a competência socioemocional com seus alunos. Aproveite estes conteúdos com
o carinho e a profundidade que lhe são peculiares no dia a dia em sala de aula.
Desejamos que este seja o ponto de partida de centenas de outros insights e ideias que possam motivar seus alunos na incrível descoberta de si mesmos.

Esta é a última edição da Construir Notícias em 2019, um ano repleto de acontecimentos no País que, certamente, agitaram a vida na escola e exigiram muito dos professores. Logo começa um tempo de descanso, que pode ser também de renovação.

Desejamos a todos um feliz 2020!

Um abraço fraterno,1

cubos