Edição 20

Editorial

Editorial

Neste momento em que parcelas significativas da sociedade participam ativamente das muitas campanhas encetadas em favor de um mundo humanizado, a Editora Construir e seus colaboradores — sintonizados, em sua proposta editorial, com o despertar de sentimentos e o estímulo à reflexão — assumem o compromisso de compartilhar com seus leitores a grandeza da Campanha da Fraternidade de 2005, cujo tema Solidariedade e Paz — Felizes os que Promovem a Paz sugere um caminho de construção da paz através da felicidade. Isso se reflete nas imagens do cartaz promocional — figura de uma criança que, num simbolismo lúdico, expressa a pureza, a alegria e a receptividade na possibilidade de um abraço, sugerindo o envolvimento de todos, o que se consolida pela representação clássica das bandeiras brancas estendidas no mundo inteiro como a própria personificação do pedido de solidariedade e paz.

Para corresponder à essência dessa campanha, elaboramos nossas seções pautadas em questões que falam do mundo na constante busca pela solidariedade e paz. Na Fala do Mestre, apresentamos a biografia de um nordestino que recebeu o título de Cidadão do Mundo — Josué de Castro, que denunciou “a fome como flagelo fabricado pelos homens contra outros homens”.

Na seção Lendo e Aprendendo, temos Zilda Arns — médica sanitarista, pediatra, mãe de cinco filhos, avó de oito netos —, que seguiu à risca o milagre da multiplicação dos pães descrito no Evangelho de São João e conseguiu, nos vinte anos da Pastoral da Criança, multiplicar a solidariedade e os seus conhecimentos para mais de 1,2 milhão de famílias em todo o Brasil.

Duas novas seções são inauguradas nesta primeira edição de 2005: a seção de Dicas de Filmes, abordando a produção Uma Mente Brilhante, que conta a história de John Forbes Nash Jr., professor de Matemática da Universidade de Princeton que luta para superar a esquizofrenia; e a seção Reunião de Pais e Mestres, com artigos significativos e abrangentes, iniciada com Içami Tiba — Ética e Mochila Escolar.

Na seção Ambiente-se, apresentamos números assustadores, mostrando que o cigarro, com aquela estrutura tão pequena — que deleita e vicia o fumante —, é, por assim dizer, uma verdadeira bomba, o que nos desperta para a prevenção e a busca de uma qualidade de vida geradora de paz.

No Livro da Vez, comentamos uma coleção que trabalha os valores éticos. Cada tema é abordado por meio de situações próximas ao cotidiano da criança. Em Lá vem História, buscando a força através do amor, pensamos na Lenda de Sadako — baseada em um fato verdadeiro: uma menina japonesa que apareceu com leucemia dez anos após o bombardeio de Hiroshima; para ter esperança de cura, ela se inspirou na lenda das garças douradas.

No que diz respeito ao convívio escolar, para que possamos ter a riqueza de partilhar, as orientações didáticas gerais focalizam a solidariedade e outros valores essenciais para os quais a prática e a reflexão são imprescindíveis. Oportunidades não faltam, na escola e fora dela, para a prática da solidariedade e para que os alunos pensem sobre ela em conjunto com os outros valores. Como sugestão, indicamos a aplicação do Programa de Educação em Valores Humanos, que consolida o conceito e a unidade da família, célula fundamental da sociedade, incentiva, de modo contínuo, a manifestação criativa, estimula a vocação e desenvolve as potencialidades de cada ser, de acordo com a filosofia do educador indiano Sathya Sai Baba.

Para reflexão, norteando nossos caminhos voltados para a justiça, trazemos as Regras Básicas da Cidadania — Mais Desempenho e Melhor Imagem para Seus Professores e a história de Anita Malfatti, considerada por Pietro Maria Bardi como a maior pintora brasileira.

Na seção dos projetos didáticos — assumindo uma postura desarmada e confiante na defesa da dignidade —, apresentamos: Uma proposta e muitos sabores: Projeto Construção dos Sentimentos na Infância; o Projeto Água: Trabalhando com a Educação Infantil; e um projeto utilizando a História do Xadrez.

Em Discussão, para fundamentar nossa prática, contamos com a contribuição da professora Ângela Leitão tratando de Gestão Escolar — ainda um grande desafio; destacamos ainda o texto sobre as Leis de Diretrizes e Bases.

Na expectativa de levar a seus leitores mais alguns subsídios para a análise, a discussão e a reflexão dos problemas educacionais, a Construir Notícias continua contando com a sua leitura crítica e com as sugestões de todos, unidos que estamos numa causa que nos é comum: “Um mundo seguro para os pequenos será um mundo seguro e feliz para todos”.

Uma boa leitura e um feliz início de ano letivo!

cubos