Edição 40

O livro da vez

Educando e elogiando meninas

USE O ELOGIO PARA INCENTIVAR O APRENDIZADO E O COMPORTAMENTO

Dois grandes problemas para os pais são o desempenho escolar e o comportamento. Elogios, incentivos e feedback positivo são especialmente valiosos e eficazes nessas duas áreas e tendem muito mais a produzir crianças mais felizes e autodirigidas do que punições, duras críticas ou humilhação. Essas também são áreas em que os pais podem encontrar dificuldades, apesar de usarem uma série de estímulos “positivos” aparentemente recomendados sem que de fato saibam por quê. É por esse motivo que o aprendizado e o comportamento são abordados neste ponto — porque é importante entender os princípios gerais do elogio eficaz e algumas das armadilhas do elogio exagerado antes de buscar respostas para um problema imediato. É importante não ter dúvidas sobre como obter o melhor das crianças, principalmente quando elas tentam respirar o ar fresco da liberdade.

Mas, primeiro, umas poucas palavras sobre a disciplina e o aprendizado. Quanto melhor forem compreendidos, mais fácil será manter a atenção e o feedback positivos e construtivos.

O aprendizado é uma atividade emocional e um processo muito complexo. Envolve bem mais do que uma criança abrir a mente e receber o conhecimento apresentado pelo professor, porque seu estado mental — como ela sente e interpreta o mundo a seu redor — inevitavelmente influencia sua vontade e capacidade de assimilar a informação. Quando as crianças têm problemas na escola, quase sempre há explicações bastante complexas. Fatos difíceis da vida, inclusive intimidação, podem angustiar, distrair e preocupar as crianças, tornando-as incapazes de se concentrar. Esses mesmos fatos podem ameaçar sua crença em si mesmas, porque produzem incerteza e incapacidade, tornando-as menos dispostas a correr os riscos que o aprendizado envolve. O pânico paralisa a mente e, se esperamos que a informação seja muito difícil de entender, isso pode nos confundir. O aprendizado e o esforço podem causar uma série de medos: de incompetência, de fracasso, de reprimenda e de ridículo. Em última análise, as crianças são agentes do próprio aprendizado. Em vez de ser forçada a assimilar informações e, depois, receber o “presente” ou a recompensa de feedback positivo (a opinião de muitas pessoas sobre como melhorar os resultados), é melhor que a menina tenha liberdade para decidir como aprender melhor, quando estará pronta para se esforçar mais ou quando precisará de incentivos ou sinais de apreciação.

A disciplina também deve promover o autodomínio e a autodisciplina. Depois de certa idade, as meninas não devem ser forçadas a cumprir regras e desejos dos adultos em todas as esferas de sua vida. O comportamento desafiador precisa ser mais entendido do que punido. É claro que desde cedo é importante que você apresente à sua filha diretrizes claras para mantê-la segura e criar a calma e previsibilidade que lhe permitirão se sentir confiante; mas, à medida que ela vai crescendo, deve ser incentivada a fazer escolhas, julgar situações por si mesma e avaliar conseqüências. Finalmente, ao término da adolescência, deve desenvolver as próprias prioridades e valores e administrar os próprios padrões de estudo, tempo e comportamento. Aqueles com um dever de diligência encorajarão isso se valorizarem e recompensarem a reflexão e a responsabilidade e tratarem a aquiescência mais como uma expectativa.

O SUCESSO É SEMPRE RELATIVO

Eu me senti muito mais realizado quando, aos 14 anos, fiquei em 73º lugar no campeonato nacional escolar do que quando cheguei em 6º lugar nos 10.000 m durante a Olimpíada de 1972, quando esperavam que eu ganhasse. Isso foi um desastre para mim. Mas tentei me apegar à idéia positiva de que era o 6º melhor do mundo (David Bedford, antigo recordista mundial dos 10.000 metros e agora diretor de corrida da Maratona de Londres).

É importante notar que um passo à frente pequeno e comum para uma menina pode ser um sinal importante de progresso para outra, e um resultado bom para quem precisa se esforçar muito para se sair bem pode ser desapontador para quem enfrenta facilmente os desafios e é capaz de se sair melhor. O prazer e o reconhecimento dos pais não devem ser negados a nenhuma menina apenas porque alguém com mais talento do que ela ofuscou seu esforço pessoal.

Na escola, as meninas são vistas como alunas, julgadas e diferenciadas por suas habilidades acadêmicas. Em casa, devemos ver nossas filhas por inteiro e como multitalentosas; sempre demonstrar um sentimento de esperança e ajudá-las a desenvolverem o respeito por si próprias necessário para a construção de uma autoimagem positiva, mesmo se a excelência acadêmica não for o ponto forte delas.

educ_elog

Cada menina aprende a se desenvolver de um modo diferente e em um tempo diferente. Dizer que “ela tem desenvolvimento lento” pode ser algo verdadeiro, em vez de uma resposta conveniente e constrangida para amigos ou parentes céticos.
Lembre-se de que experiências estressantes podem atrasar o aprendizado e de que todos precisam de um tempo para progredir.
Pergunte à sua filha se ela ficou satisfeita. Se ela disser que sim e não estiver fingindo, isso já é bastante bom.
Se os amigos de sua filha aparentemente estiverem se saindo melhor do que ela, evite se sentir competitivo. Sua filha é digna de amor do jeito que é.
Professores

Considere cada trabalho bom ou menos bom para cada aluno neste momento, e não em relação ao que, em última análise, você espera.
O elogio a toda a classe é bom de vez em quando, para que todos possam se beneficiar dele.

COMBINE O APLAUSO COM A CONQUISTA

Muito bem, Sunita! Adoro quando você se senta quieta à mesa! Vamos todos aplaudir!

“Diga isso com entusiasmo” é um mantra adotado por muitos gurus da paternidade e administração, e, portanto, por pais. É claro que é melhor parecer contente do que descrever o contentamento com um rosto inexpressivo e uma voz desanimada; contudo, o fervor demonstrado por muitos pode ir longe demais na outra direção e não só parecer falso, como criar muita tensão em torno da exigência de continuar a merecê-lo.

Se elogio tem a ver com apreciação, e apreciação envolve estimar o valor de algo, precisamos combinar o aplauso com a conquista.

educando1

Incentivar inclui esperar tranqüila e pacientemente uma criança descobrir como fazer algo. Isso demonstra fé em que ela conseguirá fazê-lo.
Dizer que algo está ótimo antes de ser levado a cabo pode indicar pressão para que seja feito direito. Contudo, demonstrar apreciação pelo esforço realizado até então indica que é suficientemente bom.
As crianças sentem orgulho e prazer não quando recebem feedback falso sobre seu talento, mas quando sabem que se esforçam muito e têm algo significativo para provar.
Professores

Pergunte a uma aluna como ela gostaria que um bom trabalho fosse reconhecido, acrescentando seu comentário por escrito.
Acumule pequenas conquistas para justificar uma demonstração maior de reconhecimento. Três em uma semana ou um período letivo poderiam merecer recompensas diferentes. Para as mais velhas, esse tempo pode ser maior.

cubos