Edição 09

Matérias Especiais

ENTREVISTA

A longo prazo, qual seria a solução ideal para o índio brasileiro?

CLÁUDIO VILLAS BOAS – Receber de nós a assistência melhor que se puder, e sobretudo cuidar dele fisicamente. Esperar mais um pouco, não forçar pela violência a integração do índio.

ORLANDO VILLAS BOAS – Há outro problema muito sério ainda: nós não nos iludimos de que essa gente infelizmente desaparecerá. Nós queremos retardar o máximo possível esse desaparecimento. O ideal seria que o índio entrasse em contato com a nossa sociedade pouco a pouco. Sem a preocupação nossa de integrá-lo e derrubar sua psique, o seu mundo, todos os seus valores. (…)

Quais poderiam ser as principais contribuições do índio à sociedade brasileira?

ORLANDO VILLAS BOAS – O índio já deu ao Brasil uma contribuição incalculável. Primeiro: o patrimônio, a terra, o sangue. Influenciou grandemente as populações do centro, nordeste e norte do país, até aqui em São Paulo mesmo. As coisas mais primárias do processo de trabalho: a agricultura, que é base alimentar do nosso índio o que ele transmitiu ao nosso caboclo na Amazônia e ao nosso sertanejo de todo o interior brasileiro; a farinha, o processo de trabalhar a farinha é todo indígena, o tipo de mandioca cultivada pelo nosso índio. O índio trouxe vários tipos de cará, a batata, o manjerico, 16 espécies de amendoim, um algodão completamente diferente, mais resistente, o algodão perene, um arbusto.

“ Nada melhor para defender o índio do que o próprio índio.”
Orlando Villas Boas, Veja, janeiro de 1971

Veja, janeiro de 1971 – Almanaque Abril – Quem é quem na história do Brasil.

cubos