Edição 60

Projeto Didático

Escola & Família: União Perfeita!

Colégio Almeida Santos – SP

Introdução

O mundo muda constantemente devido à influência da tecnologia. O que era válido ontem pode ser que hoje não seja mais. Quando refletimos sobre o papel da Educação, tendo em vista que a escola é uma instituição de aprendizagem, concluímos que ela deve ser um local aberto para o conhecimento, onde os principais agentes são os alunos, a equipe escolar, a família e todo o entorno. Sendo assim, deparamo-
-nos com uma interrogação: será que estamos, enquanto atores que compõem o universo escolar, preparando os alunos para a sociedade atual?

A Comissão Internacional sobre a Educação para o Século XXI, criada pela Unesco, sob a presidência de Jacques Delors (1925), sugere, no relatório final intitulado Educação: um Tesouro a Descobrir, com vistas ao novo milênio, a presença de quatro pilares essenciais ao desenvolvimento de um processo educativo integralizado, sendo eles:

1- Aprender a conhecer.
2- Aprender a fazer.
3- Aprender a conviver.
4- Aprender a ser.

O princípio aprender a fazer traz em seu bojo um importante desafio para a escola, que remete à articulação da aprendizagem com o mundo social e o mundo do trabalho. Assim é que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) assumiu esse princípio no inciso XI do art. 3º, quando relata que o ensino será ministrado, entre outras coisas, com base na vinculação entre educação escolar, trabalho e práticas sociais (BRASIL, 1996).

Além disso, a LDBEN, ao acompanhar o processo evolutivo da sociedade, deixa claro no seu art. 1º que a Educação “[...] abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais, nas organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais” (BRASIL, 1996).

Nesse sentido, o saber implica saber fazer

Com base nas informações contidas na LDBEN, é dever da família fornecer subsídios e acompanhar a vida escolar dos seus respectivos filhos. Uma boa educação familiar irá contribuir para a formação do indivíduo para que ele esteja preparado para enfrentar as adversidades sociais.
Para além da legislação vigente, a instituição familiar ocupa posição de destaque na sociedade atual, perpassando as várias áreas reconhecidas socialmente. Na área educacional, a família, de acordo com Tedesco (1998), é a instituição responsável por desenvolver a educação das crianças em primeira instância, que, mais tarde, será concretizada pela instituição escolar. Além disso, suprimida essa primeira fase de socialização, a instituição familiar possui, juntamente com a instituição escolar, um papel crucial na educação das crianças. Nesse sentido, Teberosky e Gallart (2004), ao analisarem os processos cognitivos das crianças, são enfáticas ao relatarem que as famílias, ao aproximarem as suas relações sociais das relações desenvolvidas nas instituições escolares, facilitam a aprendizagem dos seus filhos, contribuindo de uma maneira direta para o seu sucesso escolar.

Tencionando aproximar a instituição escolar da instituição familiar, o Colégio Almeida Santos, para além das ações sistemáticas dos seus professores, desenvolve o projeto intitulado Escola & Família: União Perfeita!, que visa, justamente, incentivar a participação da família no processo escolar dos educandos, obtendo de forma significativa melhores resultados no processo de ensino-aprendizagem dos nossos educandos. Dentro do projeto, o colégio realiza, há mais de 3 anos consecutivos, a Festa da Família, que reúne, em um único momento, as ações educacionais dos professores trabalhadas em interface com as famílias durante o decorrer do ano letivo.

Com isso, considerando o fato de que a instituição familiar passa, atualmente, por inúmeras transformações, o colégio suprimiu de seu calendário escolar as festas tradicionais do Dia das Mães e dos Pais, por entender que a composição familiar atual ultrapassa os limites dessas duas figuras, sendo, portanto, um conceito mais amplo, que envolve avós e avôs, tios e tias, casais heterossexuais e homossexuais, enfim, os responsáveis diretos pela socialização educacional das crianças. Nesse sentido, a Festa da Família, além de possuir o objetivo supracitado, busca integrar as famílias por meio de temáticas trabalhadas na festa e escolhidas em discussões que envolvem alunos, pais, professores e direção, buscando acolher as diferentes realidades.

Descrição do projeto

Considerando o objetivo proposto pelo projeto, o colégio desenvolveu, no primeiro semestre de 2011, a festa com o intuito de resgatar o entretenimento dos educandos com suas famílias. Essa temática surgiu da preocupação dos pais para com seus filhos, à medida que, com o avanço das tecnologias, as brincadeiras infantis ficaram muito individualizadas, fato que impossibilitava uma maior socialização dos filhos com os seus responsáveis ou até mesmo dos filhos com os amigos. Os alunos, porém, não conheciam outras brincadeiras infantis que não tivessem o envolvimento da tecnologia, como os videogames e computadores.

Visando desenvolver a problemática a ser trabalhada na festa, foram estruturados os seguintes objetivos:

Objetivo geral

Fazer com que a família compreenda a importância na formação da identidade e da personalidade do indivíduo.

Objetivos específicos

Enfatizar nos educandos a importância da família.
Destacar, nas atividades curriculares e nas oficinas propostas, os valores morais.
Promover a interação entre escola e família.
Estimular a disciplina na escola e o rendimento escolar.
Sensibilizar a família sobre a importância do diálogo e da participação na rotina escolar dos seus filhos.
Desenvolver no educando a autoconfiança, para que resolva com ética os conflitos no âmbito escolar e familiar.

No dia da festa, foram trabalhadas várias atividades: apresentações musicais, oficinas contendo as brincadeiras mais utilizadas pelas famílias dos educandos, oficinas de contação de história, matroginástica, jogos cooperativos e teatro.

Nas apresentações musicais, os educandos realizaram previamente um trabalho interdisciplinar de aprofundamento, com o intuito de identificar os gostos musicais de seus familiares. Do rol de músicas elencadas no aprofundamento, foram escolhidas duas, justamente as mais lembradas pelos familiares, a saber:

Superfantástico, composta por Ignácio Ballesteros, Difelisatti e Edgard Poças e interpretada pela Turma do Balão Mágico.

Imagine, composta por John Lennon, na versão em português de Paulo Ricardo.

Após as escolhas, as músicas foram ensaiadas nas aulas de musicalização por dois grupos de educandos dos diferentes níveis de ensino ofertados pelo colégio.

Nas oficinas de contação de história, foram trabalhados contos de literatura infantil. Apresentados com a participação dos familiares na parte da dramatização, geraram muito divertimento.

Na matroginástica, foram explorados exercícios voltados à necessidade do toque entre os participantes, destacando a importância da afetividade.

Nos jogos cooperativos, foram desenvolvidas atividades que ressaltaram a importância dos valores morais, entre eles a solidariedade, a união e a harmonia.

Já na peça teatral, os educandos dramatizaram a vida cotidiana de uma família. Nessa dramatização, destacaram-se os conflitos cotidianos que envolvem a adolescência e a ausência dos responsáveis nos assuntos cotidianos da família dramatizada.

Considerações finais

Por todas as atividades desenvolvidas na Festa da Família, acreditamos que o Colégio Almeida Santos está contribuindo diretamente para a formação do indivíduo, fato que remete não apenas à aquisição, pelos alunos, dos conteúdos historicamente acumulados pela humanidade, como também à inserção social desses sujeitos na sociedade. Nessa inserção, estão contidos o desenvolvimento e a concretização prática de valores morais e éticos com vistas ao desenvolvimento da sua criticidade, tornando-os sujeitos ativos da sociedade atual.

Estamos no momento de abrir possibilidades para a participação da família no contexto escolar. Plantar sementes é um exercício de cidadania.

Referências bibliográficas

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em:
. Acesso em: 1º/10/2010.

DELORS, Jacques (Org.). Educação: um Tesouro a Descobrir. Unesco, 1996. Disponível em: . Acesso em: 15/10/2010.

TEBEROSKY, Ana; GALLART, Marta Soler. Contextos de Alfabetização Inicial. São Paulo: Artmed, 2004. 176 p.

TEDESCO, Juan Carlos. O Novo Pacto Educativo: Educação, Competitividade e Cidadania na Sociedade
Moderna. São Paulo: Ática, 1998. 150 p.

cubos