Edição 73

Mensagem inicial

Essa criança de Natal

Sheridan Voysey

Observe-O. Observe-O. Observe essa criança, que se torna menino, depois homem, e, então, se descobre que Ele é ainda muito mais.

Observe o Seu nascimento — entre pastores, anjos e luzes no céu. Observe-O crescer em graça e estatura — como um jovem fazendo perguntas, dando respostas, assombrando os mestres. Observe-O no deserto — um jovem homem orando, com fome, sede e um chamado do céu. Observe esse estranho habitante do norte — com Suas mãos calejadas e hábitos radicais — que cresceu na “pagã” Galileia, cujos irmãos uma vez O acharam desequilibrado e cujos vizinhos uma vez O levaram para fora da cidade. E, ainda, observe Sua autoridade, Sua aceitação, Sua paciência. Observe-O tocar o leproso, curar o enfermo, limpar o impuro. Observe Ele ensinar às multidões e perdoar e orar sempre.

Observe-O ajoelhar-se — num jardim e angustiado. “Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e, sim, a tua” (Lucas 22:42). Submissão radical a um plano celestial.

Observe o filho de Deus ser traído com um beijo. Observe-O sendo preso e seus amigos mais íntimos fugindo. Observe-O submetendo-se a um destino traçado de antemão. Observe-os cuspirem Nele, agredi-lo e crucificá-lo numa cruz de madeira. Observe um último suspiro deslizar dos Seus lábios — os pecados do mundo nos ombros de um homem. Depois, observe, sim, observe a pedra ser removida. Um túmulo vazio, cheio de esperança, porque Ele ressuscitou!

Depois, observe Seu nome e Sua fama preencherem o mundo.

Esse Deus, esse Homem, esse Menino. Essa Criança, a razão do Natal.

cubos