Edição 04

Lendo e aprendendo

Lá vem história…

O mês de junho é um mês de festas.

E que festas!

Aniversário de Santo Antônio no dia 13, de São João no dia 24 e de São Pedro no dia 29.

É claro que os santos fazem festinhas de aniversário, que os anjinhos cantam “Parabéns”! nos seus coros celestiais, mas as festas daqui da Terra (modéstia à parte) são muito mais animadas.

Por isso aqueles anjinhos, Rafael e Celeste, morriam de vontade de brincar num arraial, vestidos de caipira, subir no pau-de-sebo, pular fogueira, dançar quadrilha, comer pipoca, pamonha, pé-de-moleque.

Mas a mãe deles não deixava:

- Lugar de anjo é no Céu…

O anjinhos não desistiam fácil e fizeram uma verdadeira ladainha no ouvido da mãe, pedindo para brincar disfarçados de caipira num arraial.

E, na noite de São João, lá estavam eles vestidos de caipira, se despedindo da sua família angelical.

E daí a pouco estavam no arraial, dançando quadrilha, pulando fogueira…

Lá das nuvens, os outros anjinhos assistiam a tudo, cantando.

Logo chegou a hora do pau-de-sebo.

E Rafael entrou na fila. Ninguém conseguia pegar os presentes. Todo mundo escorregava e caía.

Daí chegou a vez de Rafael.

Ele foi subindo, subindo, até que começou a escorregar e, sem querer, bateu as asas e ficou voando.

Foi uma gritaria sem fim:

- Milagre! Um anjo de verdade! Um marciano! Socorro!…

Todo o povo do arraial veio ver de perto o anjo. Celeste começou a voar também.

E, assim voando, eles subiram ao Céu, no meio de fogos de artifício.

E por toda a parte se ouviu uma música celestial, divina:

- São João está dormindo
Não acorda, não…
Acordai, acordai
Acordai, João

Quem contou esta história foi dona Magá, a organizadora do arraial.

E ela não é mulher de contar mentira…

cubos