Edição 49

Matérias Especiais

Motivação de A a Z

Fabiane Ariello

motivacao

Dicas, frases e exemplos para você se inspirar e motivar sua equipe hoje mesmo 

Por melhores que sejam a infraestrutura, o material pedagógico e a equipe de apoio da sua escola, o verdadeiro coração do serviço que você oferece são os professores. Com maus professores, nem a mais equipada de todas as escolas consegue ir longe. E professor bom é professor bem preparado, que apresenta resultados, que ama o que faz e está sempre atrás de novidades e de formas para melhorar sua prática. Mas, para fazer tudo isso, é essencial que ele sinta prazer e vontade de trabalhar. Em outras palavras, professor bom é professor motivado.

Motivação nunca é demais: mesmo a melhor das equipes vai agradecer se você, gestor, decidir dar uma “alavancada” na empolgação e no ânimo do pessoal. Confira exemplos e dicas de outros gestores, de especialistas e de autores e implante-os hoje mesmo!

Apoio

Sentir que a empresa dá suporte e apoia suas ações é um importante fator de motivação. Cada funcionário da escola deve saber que a equipe está ali, disposta a ajudá-lo no que for necessário.

Um exemplo interessante de projeto em que os membros da própria equipe se apoiam mutuamente é o Tandem, desenvolvido pelo Colégio Humboldt, de São Paulo (SP). “Tandem é um tipo de bicicleta pedalada por duas pessoas. E é disso que trata o projeto: dois professores juntos, em busca de uma reflexão sobre suas práticas de ensino”, explica a professora Marilu Faricelli. No Tandem, os professores formam duplas, e cada um assiste à aula do outro, mas sem avaliar ou criticar, apenas como observador. Então, os dois conversam, e o professor observador comenta apenas os temas que o colega tiver interesse em discutir. “Nenhum professor interfere, de modo algum, na aula do outro. E o sigilo é fundamental”, enfatiza Marilu.

Bônus

Ao contrário do que muitos gestores pensam, o reconhecimento não precisa estar necessariamente embutido no salário. Um lanche para a equipe, um livro, um sorteio de ingressos para o cinema — qualquer tipo de surpresa é uma forma de deixar a equipe mais animada e valorizando mais o local onde trabalha. Uma ideia prática e barata, utilizada por empresas americanas, como a rede de hotéis e cassinos Harrah’s, é produzir bótons e outros broches com mensagens de incentivo e elogios e distribuí-los aos funcionários em ocasiões especiais. No livro 1001 Maneiras de Premiar Seus Colaboradores (Sextante), o consultor motivacional Bob Nelson traz muitas outras sugestões. Escolha a sua.

Comemoração

“Estimule e brinde, com sinceridade, o sucesso de seus companheiros; cumprimente-os com afeto. É certo que tal reconhecimento, ao fazê-los mais perseverantes, voltará, um dia, para você!” — Simão de Miranda, 100 Lembretes e Uma Carta para a Auto-estima do Professor (Papirus).

Se a sua escola só faz festa em datas comemorativas, está na hora de celebrar mais. Lembre-se dos aniversários e não os deixe passar em branco, envie um cartão ou cante parabéns com um pequeno bolo. Não precisa ser nada grandioso, apenas simbólico. O importante é que o professor sinta que a escola se importa com ele, que ele faz diferença.

Divulgação

Divulgue o trabalho de seus professores e o da escola. Contrate uma assessoria de imprensa, escreva para jornais e revistas contando o que vocês fazem de interessante,
incentive a produção de artigos e a sua inscrição em congressos. “As escolas deveriam se preocupar em oferecer a saída dos trabalhos de seus professores: publicação de artigos, elaboração de livros de texto, materiais didáticos próprios, difusão de pesquisas” — Jesús Alonso Tapia e Enrique Caturla Fita, A Motivação em Sala de Aula: o Que É, Como se Faz (Loyola).

Envolvimento

Conheça a fundo as pessoas que fazem a sua escola existir, relacione-se verdadeiramente com cada uma delas, e elas sempre darão o seu melhor pelo bem da instituição. “Em nossa caminhada como gestores, encontraremos pessoas agradecidas por um toque, por uma informação, por uma palavra amiga, por um minuto perdido, por um estímulo dado em um olhar, por alguém ter se importado com elas e ter feito a diferença em sua vida” — Douglas Menslin, Gestão Escolar Para Quem É, Está ou Será Gestor (Educação Adventista).

motivacao2

Feedback

Elogios e críticas são essenciais, mas a forma de fazê-los vai ser o diferencial na hora de motivar sua equipe. No livro Como Motivar Pessoas (Publifolha), Robert Heller dá algumas dicas: “O feedback positivo é sempre bem-vindo, enquanto o negativo não deve nunca ser dado em público, pois costuma provocar amplo efeito desmotivador. Do mesmo modo, retornos negativos devem ser suaves. Concentre-se na questão específica e aborde o comportamento anterior que resultou nesse feedback, além de suas expectativas a partir de agora. Verifique se sua mensagem foi recebida e compreendida e avalie o tipo de reação que ela provocou”.

Gratidão

Mostre-se grato pelo que seus funcionários fazem. Dizer “obrigado” faz toda a diferença. Os escritores americanos Harry Paul e Ross Reck, autores de vários livros de motivação
empresarial, enfatizam três pontos:

• As pessoas adoram trabalhar quando sabem que seus es- forços são reconhecidos e alguém é grato por eles.

• Trate as pessoas como seus recursos mais valiosos. Per- gunte a opinião delas sobre as coisas, escute o que têm a dizer e tome atitudes para ajudá-las.

• Mostre que respeita seus funcionários pelo que são e pelo que fazem.

História

“Procure saber a história da sua escola. Esse conhecimento vai ajudá-lo a transmitir uma noção de orgulho e tradição. Use o emblema. O orgulho é contagioso. No entanto, ao contrário da maior parte das infecções, o orgulho faz com que as pessoas e as organizações trabalhem melhor” — Robert Ramsey, 501 Dicas para Professores (Replicação).

Identificação

Se a sua escola não tem visão, missão e valores definidos, reúna a equipe e mãos à obra! Sem sabermos para onde queremos ir, não saímos do lugar. Defina a posição da escola e faça com que a equipe se identifique. “Prepare um painel bem elegante com a missão e a visão institucional e o afixe em um lugar visível a todos. Servirá como um lembrete permanente a indicar as direções para onde o grupo deve remar em sincronia”, completa o professor Simão Miranda.

No livro O Valor da Transformação, que conta a história da Escola Palmares, de Curitiba (PR), o professor Davi Marangon explica como se sentiu ao fazer parte de um grupo: “Quando cheguei à Escola Palmares, em 1998, não imaginava o quanto me integraria à escola. Uma grande identificação aconteceu, e não por acaso. Desde então, me sinto parte de uma história que venho ajudando a construir e contar. Pertencer a um espaço escolar e a um grupo de pessoas — uma voz somada a outras vozes que acreditam em uma educação emancipadora — é associar um projeto de vida individual a um projeto coletivo maior”.

Justiça

Segundo Luiz Almeida Martins Filho, presidente da Anthropos Consulting, “A fim de ter o respeito da equipe, o profissional deve ser sensível ao que é direito e justo. O estilo de liderança segundo o qual todos são tratados de forma justa e igual sempre cria uma sensação de segurança. Isso é extremamente construtivo e um grande fator de nivelamento”. Para ser justo, não permita que preferências pessoais afetem suas escolhas. Reconheça a boa vontade e os méritos de cada um, atribua as boas ideias aos verdadeiros criadores, seja imparcial em todas as circunstâncias. Aceite seus erros e deixe que seu exemplo de retidão guie toda a equipe. Abra-se honestamente às críticas e sugestões do grupo e as acolha com serenidade e sinceridade.

Liberdade

A autonomia para desenvolver suas próprias aulas é um dos maiores benefícios que o professor deve ter em um emprego. A aldeia Montessori, no Rio de Janeiro (RJ), leva essa questão a sério: “Motivação de professores, para nós, é fruto de um trabalho que inclui fomentar o respeito que o professor merece no seu espaço de trabalho. A conquista da autonomia para desenvolver seu projeto pedagógico pessoal como parte do projeto pedagógico da instituição faz desabrochar a motivação interna do professor”, conta a diretora Márcia Rightti.

Material didático

Um material didático de qualidade é motivação suficiente para o professor que quer criar boas aulas. Incluir materiais alternativos é uma opção para quem não quer mudar completamente o projeto pedagógico.

O programa Multicurso Ensino Médio – Matemática, uma iniciativa que investe na qualidade do ensino de Matemática, melhorando a formação dos professores e utilizando material didático atraente e inovador, motivou diversos professores de escolas estaduais do Espírito Santo a irem mais fundo em suas aulas. A professora Suely Breda Gava, que participou de um dos grupos do programa, conta sua experiência: “Em sala de aula, falo muito aos alunos que o importante não é o método de resolução do problema, e sim a trajetória utilizada. Fico feliz e valorizo muito quando o aluno resolve um problema de forma alternativa, propondo um caminho novo. Quando isso acontece, é uma ótima oportunidade que temos para dialogar”.

Necessidades pessoais

Perceber os membros da sua equipe como seres humanos, com necessidades acima da escola, é fundamental. O professor com um filho doente em casa não se sente motivado para trabalhar. Muitas vezes, o simples fato de liberar o profissional de algumas horas de trabalho para resolver assuntos pessoais já é um fator que o deixará motivado, depois, a fazer um trabalho ainda melhor. “Conheça os objetivos e projetos de vida das pessoas de sua equipe e, na medida do possível, possibilite que esses objetivos sejam atingidos através da escola. Caso isso não seja possível, é melhor desligar a pessoa da instituição do que acreditar que posso motivá-la com fórmulas padronizadas”, acredita Carlos Lavieri, que trabalha na administração do Colégio Itatiaia, em São Paulo (SP), e é professor de gestão de pessoas na pós-graduação da Mackenzie.

Organização

No livro A Gestão da Escola (Artmed), Pedro Faria Borges escreve que “O diretor precisa ter o professor como parceiro privilegiado e batalhar diuturnamente para que esse parceiro tenha as melhores condições de trabalho”. A boa organização aumenta a eficiência e garante estrutura. Uma escola limpa, bonita e organizada tem um clima melhor e até atrai mais alunos. Sentir-se bem num lugar é essencial.

Plano de carreira

Ser avaliado não é necessariamente uma coisa negativa. Um plano de carreira bem elaborado pode ser um dos grandes pilares da motivação profissional. É claro que, para saber se o funcionário merece galgar novos degraus, é preciso avaliá- lo em diversos fatores, como assiduidade, pontualidade, rendimento dos alunos, participação em atividades extraclasse e comparecimento a reuniões. Para mais informações e dicas sobre como criar o plano de carreira da sua escola, consulte o livro Escola de Alto Desempenho, do Instituto Vitae Futurekids.

Qualificação

Invista na formação de seus professores. Incentive-os para que leiam, façam cursos, participem de palestras sobre todos os tipos de assunto, aprendam línguas. Na Escola Americana do Rio de Janeiro, essa preocupação está presente o tempo todo. A diretora do Ensino Básico (Educação Infantil), Julie Hunt, conta: “Sugerir e motivar a leitura e o estudo de livros específicos, o hábito da pesquisa, a realização de cursos são ações que honram os anos de serviço prestados”.

Resiliência

Dominar a arte da resiliência é essencial para se sentir motivado no dia a dia. Segundo o consultor organizacional e palestrante Ricardo Piovan, autor do livro Resiliência – Como Superar Pressões e Adversidades no Trabalho: “A pessoa resiliente é aquela que sofre crises, enfrenta mudanças ou situações de forte estresse e consegue dar a volta por cima, transformando sofrimento em competência”.

O bom gestor ajuda a desenvolver a resiliência em sua equipe. “A busca incessante pela resiliência por parte de toda a nossa equipe é que nos torna mais integrados, motivados e dispostos a criar sempre, o que, curiosamente, acaba gerando um sentimento de grande realização”, conta a diretora Norma Ragghianti, da Escola Internacional de Alphaville, em Barueri (SP).

Superação

Para motivar a equipe e melhorar a prática profissional, deve-se encorajar o diálogo e a reflexão. Uma das características do diretor é estimular seus funcionários a levarem adiante os seus melhores esforços e superarem as dificuldades de forma direta e cuidadosa. “Procuro focar na capacidade de construção para a melhora contínua através da liderança compartilhada. Também busco oferecer oportunamente apoio pessoal e profissional, além de resposta rápida”, revela Erich Heise, diretor do Ensino Médio da Escola Americana do Rio de Janeiro.

Tutoria

Jesús Alonso Tapia e Enrique Caturla Fita, autores do livro A Motivação em Sala de Aula: o Que É, Como se Faz (Loyola), dão o tom: “É importante a criação, em todas as escolas, de um departamento de orientação e tutoria. Para realizar as tarefas de orientação e acompanhamento dos alunos, os tutores e professores necessitam de um apoio técnico e de um conjunto de recursos humanos e materiais”.

Em Curitiba (PR), o Colégio Positivo atenta para que os professores tenham apoio em todas as questões. “Os departamentos se reúnem semanalmente, e o professor tem total abertura para falar de suas dúvidas e de seus problemas. Ninguém sai do colégio frustrado”, conta o diretor Carlos Dorlass. “Se detectada uma dificuldade, usaremos de todas as formas de tutoria para ajudar nosso professor”, complementa.

União

“É priorizando o trabalho em equipe, a troca constante, aprendendo com o outro, que conseguimos manter a motivação e o envolvimento de nossos colaboradores”, conta Norma Ragghianti, diretora da Escola Internacional de Alphaville. Manter o grupo unido é função de todo bom gestor, e sentir-se parte de algo maior é um importante fator de motivação. Desde o começo, crie a sensação de união: festeje a chegada de um novo professor, integre-o ao grupo. Nas palavras do professor Simão de Miranda: “Dentre tantos desafios, um deles é precioso e preciso. O desafio de desfiar, fio por fio, o novelo emaranhado: convencer-se de que o melhor grupo para conviver é seu próprio grupo, novelo, assim como ele é”.

Valorização

Os docentes não se sentem suficientemente valorizados pela administração da escola nem pela sociedade. A pesquisa A Qualidade da Educação sob o Olhar dos Professores, da Fundação SM, mostrou que três de cada quatro professores consideram que a administração não valoriza suficientemente seu trabalho. A porcentagem ficou ainda maior quando perguntamos em relação à sociedade — 80,6% acreditam que a sociedade não valoriza o mestre.

“Se as famílias tratam os professores como profissionais de segunda ou terceira classe, é ingênuo pensar que seus filhos irão tratá-los com respeito e consideração”, escreve Pedro Faria Borges em A Gestão da Escola (Artmed). Que tal levantar esse assunto na próxima reunião de pais? Incentive os pais dos alunos a escreverem agradecimentos aos professores de seus filhos. Um agradecimento sincero é motivação suficiente para qualquer professor.

Xerox

Uma boa comunicação é essencial para motivar a equipe. Você pode se comunicar de várias formas. Aproveite o mural da sala dos professores para fazer sua equipe refletir e para passar mensagens de motivação. Xeroque matérias interessantes e deixe à disposição para leitura. Para quem usa a internet com frequência, uma ideia da diretora interina do Ensino Fundamental da Escola Americana do Rio de Janeiro, Marina Vanderput: “Toda sexta-feira, os professores refletem sobre quem ajudou quem durante aquela semana e enviam uma lista de nomes a receberem um agradecimento público. Outra forma de motivação é através de e-mails, quando percebo que algum professor está realizando particularmente bem alguma ação”.

Zelador

Se você pensa que só o professor precisa de incentivo, está enganado. Não deixe ninguém de lado. Conforme escreveu Léo Salgado, em Motivação no Trabalho (Qualitymark): “Os empregados devem participar de decisões que os afetem, com o objetivo de motivá-los a aumentar a produtividade, de manter o compromisso de trabalhar metas, estimular a motivação e aumentar a satisfação deles no trabalho”.

Três autores, três dicas

Helen Keller

“Muitas pessoas têm a ideia errada do que constitui a felicidade verdadeira. Ela não éalcançada através da autossatisfação, mas através da fidelidade a um propósito digno.”

Ralph Waldo Emerson

“Termine cada dia e esteja contente com ele. Você fez o que pôde. Alguns enganos e tolices se infiltraram indubitavelmente; esqueça-os tão logo você consiga. Amanhã é um novo dia; comece-o bem e serenamente, com um espírito elevado demais para ser incomodado pelas tolices do passado.”

William Butler Yeats

“Toda tentação vencida representa uma nova reserva de energia moral. Toda prova suportada e resistida com um espírito correto torna a alma mais nobre e mais forte do que era antes.”

Alguns livros para se inspirar

MIRANDA, de Simão. 100 Lembretes e Uma Carta para a Auto-estima do Professor. Papirus, 2006.
KATAFIASZ, Karen. Terapia do Professor. Paulus, 2006.

Fonte: Revista Gestão Educacional: Motivação de A a Z. Curitiba: Humana. Ano 5, n. 50, julho de 2009. p. 8 – 11.

cubos