Edição 74

Projeto Didático

O livro didático no ensino da História: novos debates, antigos problemas

Zuleide Elisa Almeida Moreira

Introdução

A Metodologia do Ensino hoje conta com uma grande variedade de recursos didáticos disponíveis na prática da sala de aula. Desde os mais tradicionais aos mais modernos e diversificados recursos oferecidos pela informática. Nem sempre, no entanto, os professores da rede pública têm à sua disposição uma infraestrutura e determinados equipamentos que possibilitem a exploração dos mais novos mecanismos tecnológicos que facilitem o processo de ensino-aprendizagem.

Embora tivéssemos elaborado nosso programa da disciplina Conteúdo e Metodologia do Ensino de História no curso de 1ª Licenciatura em Pedagogia da UPE — Câmpus Mata Norte/Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (Parfor), com uma apresentação dos vários recursos didáticos, do quadro de giz ao blog, passando pela webquest e representação teatral, a realidade dos nossos alunos-professores nos conduziram a uma rediscussão de um dos recursos ainda hoje mais utilizados em sala de aula, do Ensino Fundamental ao Ensino Médio: o livro didático.

Nesta oportunidade, agradeço à Prefeitura e à Secretaria de Educação dos municípios de Vicência, Aliança, Macaparana, Timbaúba, Orobó, Paulista, São Vicente Ferrer, Ferreiros, Chã de Alegria, que possibilitaram a qualificação dos seus professores (Aldenira S. Silva, Alice Márcia F. Silva, Bruna Renata B. do Nascimento, Edvânia P. R. de Albuquerque, Elisângela Maria da Silva, Elzenir R. da Silva, Geruza F. Dantas, Gustavo G. de Araújo, Iozete G. de Holanda, Ivaneide S. de Oliveira, Ivani B. Ramos, Leila dos S. Gomes, Lindalva Maria de Andrade, Lindinalva P. Monteiro, Luzinete Maria de S. Silva, Maria Aparecida da Silva, Maria Denize A. da Silva, Maria do Socorro S. de França, Maria José Silvânia de M. Lima, Maria Marli de Almeida, Matilde Fabiana V. de Araújo, Rogéria Araújo Barbosa, Rosa Damiana da Silva, Rosineide da S. Gomes, Zelania Cavalcanti da Silva), que tanto se empenharam na busca de uma metodologia e de conteúdos no estudo da ciência histórica, no desempenho de suas funções e no ensino-aprendizagem.

Agradecimento em especial à Profa. Zélia Maria Wanderley Dantas, que atendeu ao nosso convite proferindo uma palestra, enriquecendo nosso estudo e contribuindo com o ensino-aprendizagem na formação de professores do curso de 1ª Licenciatura em Pedagogia da UPE – Câmpus Mata Norte. Também à Secretaria de Educação de Nazaré da Mata, pela participação e pelo espaço cedido em sua instituição para a culminância desse evento.

tpl_imagem_horizontal

Condução dos estudos

Iniciamos nossas atividades com a organização de um seminário no qual os grupos apresentaram suas propostas metodológicas aplicadas aos conteúdos de História abordados por nossos estudantes/professores na sala de aula, tendo como base os livros didáticos adotados pelas escolas, assim como as planilhas apresentadas pelas secretarias municipais, onde nossos estudantes/professores exercem suas funções.

Após a apresentação dos grupos, relacionamos alguns questionamentos que se fizeram pertinentes naquele momento. Entre as questões problematizadoras, elencamos:

• Analisar a adequação dos conteúdos ao nível dos alunos.

• Estudar a utilização da linguagem ao entendimento dos alunos.

• Identificar se as atividades propostas pelos autores são reflexivas, levando o aluno a contextualizar os momentos históricos.

• Discutir se as abordagens apresentadas nos livros trabalhados possibilitaram uma reflexão crítica sobre os conteúdos.

• Relacionar ilustrações apresentadas que corresponderam à realidade dos fatos históricos.

• Verificar se foram apresentados temas transversais e se foram compatíveis às temáticas do estudo de História.

Diante dessas discussões, apresentamos propostas e sugestões com a perspectiva de ampliar os debates sobre a necessidade e importância do livro didático na formação cidadã e no processo de ensino-aprendizagem no estudo de História nas primeiras séries do Ensino Fundamental.

Nesse contexto, sugerimos utilizar um livro didático com proposta diferenciada como parâmetro aos já então vivenciados em nosso estudo. Entre os livros, fizemos opção pela proposta apresentada pela Profa. Zélia Maria Wanderley Dantas, autora dos livros da Coleção Historiando: História-Recife e História-Pernambuco, da Editora Construir (Recife, 2010).

A Coleção Historiando: História-Recife apresenta uma estrutura não muito diferente da maioria dos livros didáticos: uma parte inicial de orientação

para o professor e uma segunda parte na qual são apresentados os conteúdos relativos à cidade do Recife.

Na parte de orientação para os professores, a autora, assumindo sua base teórica construtivista piagetiana, apresenta uma fundamentação teórica, algumas considerações metodológicas, os objetivos, os conteúdos (conceituais, procedimentais e atitudinais), materiais para aprofundamento dos professores e sugestões de atividades, capítulo por capítulo, finalizando com a apresentação de um projeto sobre o folclore brasileiro e uma cronologia de atividades, além de uma bibliografia sobre a cidade do Recife, Pernambuco e a cultura local.

Em relação aos conteúdos, segundo a autora voltados para os alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, apresentam a História do Recife organizada cronologicamente, abrangendo-a do I ao VIII capítulos. Em continuidade, distribui aspectos variados em relação a conhecimentos que os alunos deverão ter acerca de alguns aspectos particulares dos bairros do Recife, aspectos culturais (museus, teatros e patrimônios históricos), esclarecendo sobre atividades comerciais, públicas, símbolos oficiais (bandeiras). Através da iconografia, faz uma abordagem das festividades e particularidades da cultura local (Galo da Madrugada; caboclinhos; maracatus; danças típicas das festas juninas, como: xaxado, coco, quadrilha e forró; e festas natalinas, como pastoril, missa do galo).

A Coleção Historiando: História-Pernambuco apresenta a mesma estrutura da obra anterior quanto à parte de orientação ao professor, finalizando com o projeto Semana de Arte Pernambucana, com atividades nas quais se destacam poesia, música, esculturas em barro e pintura.

A parte referente ao conteúdo programático inicia-se com uma apresentação dos períodos da História de Pernambuco, enfatizando a pesquisa arqueológica. Estuda o processo de desenvolvimento da História do Estado a partir da conquista de portugueses e espanhóis no Novo Mundo, destacando alguns fatos e momentos da nossa história local em capítulos específicos (Os Indígenas em Pernambuco, A Nova Luzitânia, Os Engenhos de Açúcar, As Invasões Holandesas, A Insurreição Pernambucana, A Guerra dos Mascates) e inserindo nos capítulos voltados para temas mais gerais da História do Brasil (Os Negros no Brasil, A Colônia Brasileira, O Período Imperial, A República), aspectos importantes da História de Pernambuco. Na verdade, a História do Brasil serve para contextualização da História pernambucana.

Os quatro capítulos finais tratam de questões da política (estrutura do poder, símbolos do Estado), da cidadania, dos tributos e dos aspectos da cultura local.

Nas duas obras — Historiando: História-Recife e História-Pernambuco —, os capítulos são enriquecidos com pequenos vocabulários e atividades. Como partes suplementares, os livros trazem cada qual um Caderno de Passatempo, em que o aluno encontrará jogos e materiais para colorir.

Assim, a partir dessas obras resumidamente apresentadas, passamos a discutir a utilização dos livros didáticos.

A metodologia de trabalho aplicada para essa discussão foi dividir a turma em quatro grupos que deveriam se posicionar através de relatório, apresentando uma análise comparativa entre os livros já trabalhados com o da Profa. Zélia Maria Wanderley Dantas.

tpl_imagem_horizontal

Apresentação dos resultados

O primeiro grupo a se apresentar pronunciou-se acerca dos livros da Profa. Zélia Dantas, considerando-os “riquíssimos e cheios de vida”.

“Consideramos os livros” [expressou-se o segundo grupo] “ricos e diversificados em conteúdo, despertando nos alunos a curiosidade e o interesse pela leitura, com atividades mais sugestivas e imagens atrativas”.

Já o terceiro grupo concluiu que “Os conteúdos são bem elaborados, a linguagem é compreensível, atingindo o nível de aprendizagem dos alunos, destacando-se as ilustrações, que atraem bastante atenção pelo colorido das fotos”.

Finalmente, o último grupo afirma que o livro História de Pernambuco mantém “[...] viva na memória da criança pernambucana as noções de identidade e de formação da cidadania”, permitindo ao aluno “[...] conhecer os fatos históricos e os sujeitos que, com suas ações, marcaram a sociedade de seu tempo”.

Conclusão

Pelos comentários dos grupos acerca dos livros didáticos utilizados e apresentados para análise, ficou evidenciado que este ainda é um recurso de que o professor dispõe “[...] capaz de motivar e, ao mesmo tempo, apresentar de forma sistemática a importância do saber histórico escolar”.

As análises foram direcionadas prioritariamente para a linguagem dos autores, a diversificação dos recursos utilizados por eles (questionário, jogos, seção de curiosidades) e a apresentação de ilustrações intimamente relacionadas com o momento histórico abordado.

Houve certa concordância durante as discussões de que o livro didático deverá ser utilizado muito mais como orientação geral, a partir da qual o professor deverá despertar no aluno a capacidade de refletir criticamente sobre os acontecimentos históricos do passado, possibilitando uma relação com a contemporaneidade. Afinal de contas, como bem afirmava o historiador José Honório Rodrigues: “A História não é dos mortos, mas dos vivos!”.

Tal pesquisa foi executada com a parceria da Editora Construir, proporcionando, para culminância do projeto, a distribuição do material didático pelas professoras citadas e a palestra ministrada com a autora da Coleção Historiando, Zélia Wanderley Dantas.

Zuleide Elisa Almeida Moreira é especialista em História do Brasil pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e mestranda em Tecnologia Ambiental no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep). Atualmente é professora efetiva da Autarquia Municipal do Ensino do Município de Goiana – PE (Amesg), das disciplinas História Moderna e Legislação da Educação Básica e professora formadora do Parfor-UPE na disciplina Conteúdo e Metodologia do Ensino da História.
Endereço eletrônico: ppclze@terra.com.br.

cubos