Edição 56

Ambiente-se

O mundo mágico da Literatura Infantil na arte de aprender

Beatriz de Almeida Reis

img-1709-02

“O maior desafio é conhecer cada criança como ela realmente é, saber o que ela é capaz de fazer e centrar a educação nas capacidades, mas forças e nos interesses dessas crianças.”
Howard Gardner

APRESENTAÇÃO

O presente trabalho tem como escopo despertar, nas crianças do projeto Educar para Vida, o interesse de ler e interpretar, de forma prazerosa e dinâmica, o que estão lendo, através de produções que compõem o acervo literário infantil, como A Casa (música de Vinicius de Moraes) e Aquarela (música de Vinicius e Toquinho), textos de Monteiro Lobato, poemas de Cecília Meireles, Gonçalves Dias, livros da coleção Literatura em Minha Casa, e deve trabalhar, ainda, contos, parlendas, adivinhações, entre outros.

É de grande valia ressaltar que, durante a realização do projeto, serão trabalhadas, ainda, as disciplinas: Português, Matemática, Ciências, Literatura Infantil, Arte, além dos Temas Transversais (natureza, sociedade e meio ambiente). O projeto será desenvolvido a partir do segundo semestre e será ministrado pelas educadoras Alessandra Xavier e Nayana Cristine.

JUSTIFICATIVA

Em tempos hodiernos, em que se vive na era da informação e do conhecimento, o ato de ler é uma necessidade constante, uma vez que proporciona ao educando abrir-se para outras culturas. A cultura universal é produto de todos os povos. O aluno só poderá contribuir para essa universalidade se, primeiro, se onstituir como indivíduo consciente de sua própria expressão cultural. Portanto, se desejamos formar cidadãos leitores, criativos e aptos a intervir na sociedade em que estiverem inseridos, um dos requisitos fundamentais é o enriquecimento do cotidiano infantil com a inserção de leituras de contos, lendas, poemas, etc., nas quais a riqueza e o acervo de brincadeiras constituirão o banco de dados de imagens culturais utilizado nas situações interativas. Dispor de tais recursos é de grande valia para instrumentalizar a criança para a construção do conhecimento e da sua socialização.

O educador não pode nem deve se limitar à ideia de que a leitura é uma simples decodificação de símbolos, mas deve buscar, na sua essência, os pressupostos básicos para fazer aflorar o senso crítico nos seus alunos, partindo de uma necessidade própria de instigar constantemente, socializar a curiosidade, sabendo julgá-la quando necessário. Para que possamos formar leitores críticos, é necessário, portanto, propiciar, nas salas de aula, a dinamização da cultura viva, diversificada e criativa. Ler e contar histórias devem ser atividades obrigatórias na programação diária das turmas do projeto. De acordo com os PCN, “Toda educação comprometida com o exercício da cidadania precisa criar condições para que o aluno possa desenvolver sua competência discursiva” (p. 23). É, portanto, na percepção das situações discursivas que o aluno poderá se constituir como cidadão e exercer seus direitos como usuário da língua.

img-1709-03

Saber ouvir é outro aspecto de grande importância na aprendizagem. A leitura de histórias, poemas, contos e fábulas é uma atividade que se presta muito bem para desenvolver, no aluno, a capacidade de ouvir. Pois acompanhar a sequência lógica dos fatos da narrativa, procurando compreender o enredo, é uma atividade que atrai, dá alegria e atende também à necessidade infantil de fantasia, encantamento e relaxamento, além de enriquecer o vocabulário de maneira agradável pelo contato com a modalidade culta da língua, ou seja, uma linguagem mais elaborada. Para Paulo Freire, “a educação, sozinha, não transforma a sociedade; sem ela, tampouco a sociedade muda”.

Dessa perspectiva de despertar, nos educandos, a busca prazerosa pelo ato de ler e, consequentemente, de escrever, de promover a leitura entre eles de maneira autônoma, reflexiva e crítica, foi que surgiu a ideia da criação deste trabalho.

OBJETIVOS

Gerais

• Promover, nos educandos, o apreço pela leitura e escrita a partir do desenvolvimento de trabalhos com histórias infantis, clássicos, contos, lendas, poemas, adivinhações, parlendas e músicas, de forma prazerosa e diversificada, a fim de alcançar os objetivos pedagógicos.
• Favorecer o desenvolvimento cognitivo e sociocultural das crianças.

Específicos

• Trabalhar a leitura, a escrita e a interpretação dos alunos a partir dos desenhos e sinais gráficos que o texto a ser abordado apresenta.
• Trocar informações respeitando sempre a opinião do outro.
• Extrair, do texto, um referencial positivo de bons hábitos e atitudes.
• Estimular o pensamento crítico.
• Ampliar o vocabulário.
• Desenvolver habilidades artísticas a partir do desenho, da pintura ou da confecção de uma cena que tenha chamado a atenção.

METODOLOGIA

O projeto O Mundo Mágico da Literatura Infantil na Arte de Aprender foi idealizado com o propósito de estimular a leitura e a escrita, suscitar a criatividade e a inteligência dos educandos, no geral oriundos de famílias que, via de regra, são desprovidas de recursos e maiores conhecimentos acerca do que está sendo proposto.

Partindo desse pressuposto, o projeto será efetivado da seguinte forma:

• Apresentação do texto a ser trabalhado.
• Levantamento dos conhecimentos prévios, estabelecendo um paralelo com o conhecimento formal de maneira contextualizada, desafiando o aluno a pensar sobre a experiência vivenciada.
• Leitura coletiva e individual de textos (histórias, poemas, contos, etc.).
• Discussão do texto estudado.
• Produção de texto: coletiva e individual (oral e escrita).
• Interpretação de diferentes linguagens.
• Ampliação do vocabulário.

Atividades

• Dinâmicas de grupo
• Leituras individual e coletiva
• Produção de textos
• Jogos diversos com personagens (de memória, escrita das letras do alfabeto, imagens e palavras)
• Leituras diversas
• Escrita espontânea
• Adivinhações usando como tema os personagens trabalhados

• Atividades matemáticas
• Desenhos dirigidos e espontâneos
• Dobraduras
• Pinturas
• Dramatizações
• Mímicas
• Sequência de figuras
• Colagens
• Aulas externas

Recursos didáticos

• Livros de literatura infantil, clássicos, livros didáticos
• Revistas, jornais, gravuras, painéis
• Lápis colorido e giz de cera
• Tintas: guache, glitter e relevo (cores diversas)
• Pincéis
• Papel (40 kg, A4, ofício, camurça, crepom, cartão, etc.; cores diversas)
• CDs
• TV
• DVD (aparelho)
• Histórias em DVD
• Máquina fotográfica
• Internet

Avaliação

Sendo a avaliação um processo contínuo e sistemático, far-se-á mediante os seguintes aspectos:

• Observação
• Participação
• Desenvolvimento cognitivo
• Produção nas atividades
• Senso crítico
• Formação

Beatriz de Almeida Reis é pedagoga, especialista em gestão e supervisão escolar pela Universidade Estadual do Maranhão.

 

Referências bibliográficas

BARRO, João de. A Formiguinha e a Neve. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2001. v. 04.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa 1º e 2º ciclos do Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARDNER, Howard. Estruturas da Mente – A Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

HERMIDA, Jorge Fernando. Educação Infantil: Política e Fundamentos. João Pessoa: Universitária/UFPB, 2007.

cubos