Edição 20

Matérias Especiais

O que é educar?

“Pode-se dominar todas as formas de conhecimento,
pode-se derrotar os adversários em um debate,
pode-se lutar com valor e coragem no campo de batalha…
Pode-se alcançar até mesmo a Lua.
Mas alguém pode controlar o corpo, a mente e os sentidos?
Direcionem a visão para o seu interior
e alcancem o supremo estado de equanimidade da mente.”

Poema traduzido do telugu (língua falada no sudeste da Índia).

A palavra educar deriva da palavra latina educare, que significa “revelar o que está dentro”, deixar florescer as habilidades e potencialidades, tornando explícitos os poderes inatos do homem.

Faremos, por nossa conta, para fins de um melhor entendimento, uma distinção semântica do termo educação, ficando este como a instrução acadêmica e profissional passada de fora para dentro, ou seja, o conhecimento técnico transmitido pelo educador ao educando, independentemente do método pedagógico adotado. Chamaremos de educare a educação que aflora de dentro para fora, aquela que diz respeito ao ser, e não ao saber. Aquela que legará condutas morais e éticas responsáveis pelo norteamento da vida de cada um. A educação em valores humanos busca a união desses dois importantes conceitos.

Programa de Educação de Valores Humanos (Educare)

“Os diplomas, por si mesmos, não significam educação.
A educação confinada às ciências físicas é uma paródia da
verdadeira educação. Junto com o conhecimento das ciências
naturais, o indivíduo deve adquirir humildade, disciplina e bom caráter.
A educação tem conotação sagrada.”
Sathya Sai Baba

Instaura-se um novo tempo na educação. Um tempo em que o educador, que somos todos nós, é o mestre capaz de ensinar, direcionar e, ao mesmo tempo, reconhecer-se como aprendiz, nutrindo o anseio permanente de aperfeiçoar-se para crescer com seus alunos, sem a arrogância do saber, criando um clima de irmandade entre todos. Nesse novo tempo, vivenciamos uma educação que eleva, que promove no indivíduo a reflexão sobre as próprias identidade e realidade.

A aplicação do Programa de Educação em Valores Humanos consolida o conceito e a unidade da família, célula fundamental da sociedade. Incentiva, de modo contínuo, a manifestação criativa, estimula a vocação e desenvolve as potencialidades de cada ser.

Não basta apenas a mera transmissão de conhecimentos científicos. No novo padrão de conduta, é vital reconhecer os valores inerentes ao homem: verdade, retidão, paz, amor e não-violência. Conforme nos aprofundarmos, você vai perceber que existe um elo entre eles. Por meio da verdade, chega-se à retidão; agindo-se corretamente, é possível estar em paz; a paz nos levará ao amor; e o amor se expandirá e se manifestará em não-violência.

O êxito do Programa de Educação em Valores Humanos depende, em primeiro lugar, do fato de o educador ter profundo conhecimento de cada um dos valores absolutos. Em segundo, é preciso que ele se disponha a praticá-los e incorporá-los aos seus hábitos diários e, em terceiro, que se torne um modelo para o aluno.

A educação terá a missão de possibilitar a geração, a organização e a difusão do conhecimento, de fazer o jovem perceber seus talentos e sua pluridimensionalidade:
A consciência do eu em decorrência do autoconhecimento.
A consciência do outro por meio do conhecimento de que ninguém está só.
A consciência de nós mediante a percepção de que todos os seres vivos estão integrados.
A consciência universal por meio da compreensão da vida, de que fazemos parte de tudo o que existe no universo.

A educação em valores humanos tem como fundamentos filosóficos o reconhecimento da existência de Deus; a prática dos valores universais: verdade, retidão, paz, amor e não-violência; a irmandade entre os homens; e a unidade entre todas as religiões e crenças.

Com a vivência diária, observaremos que o Educare não é meramente um programa educacional, e sim os alicerces da vida de cada ser.

Os cinco Valores Humanos absolutos

Muitos filósofos, educadores e pensadores falam em paz, amor e não-violência, mas não propõem métodos de conduta para chegar a isso.

A proposta de Sathya Sai Baba diferencia-se das demais justamente por ter sintetizado um método de trabalho com as crianças fundamentado nos cinco valores absolutos: verdade, retidão, paz, amor e não-violência. Relacionou a cada valor absoluto valores relativos ou subvalores — ferramentas que servem de aperfeiçoamento diário do indivíduo. Para facilitar a vivência desses subvalores, ele criou cinco técnicas que também relacionou com os valores universais.

Somente quando todos os subvalores forem compreendidos é que o valor absoluto será vivenciado em plenitude, obtendo-se assim a unidade entre pensamento, palavra e ação, que consiste na excelência humana.

“Verdade é aquilo que deve ser dito,
Retidão é o que deve ser praticado,
Paz é o que deve preencher a mente,
Amor é o que deve se expandir dentro de nós e
Não-violência é o que devemos ser plenamente.”
Sathya Sai Baba

Fonte: MESQUITA, Maria Fernanda Nogueira. Valores humanos na educação: uma nova prática na sala de aula. São Paulo: Gente, 2003. p. 41 a 44.

cubos