Edição 18

Pintando o 7

Pieter Bruegel

A autora Sylvia Orthof, uma apaixonada pela arte de Pieter Bruegel, escreveu no seu livro Doce, doce… e quem comeu regalou-se!, da editora Paulus, 1987, estes versos interpretativos para a tela Jogos Infantis.

Pula carniça, menino,
cinco meninos na praça,
mais um balão voejando,
tanta coisa, quanta coisa…

Bandeiras e brincadeiras.
Mas uma coisa é certa:
quem quiser intimidade
não deixe a janela aberta!

(…)

Eu sou o Zé Nicolau
e comando a brincadeira,
pois brinco de general!

Venham pulando carniça
atrás do passo apressado
do meu cavalo-de-pau!

Pieter Bruegel (pronuncia-se “Broiguel”) nasceu em meados de 1527, perto de Antuérpia, hoje pertencente à Bélgica. O pouco que se sabe a respeito da vida desse artista é através do que nos revelam seus desenhos e suas pinturas.

Antuérpia era uma cidade muito importante naquela época. As famílias ricas gostavam de encher os imensos salões de suas mansões com obras de arte e valorizavam toda pintura nova que surgisse.

Embalado por esse clima, Bruegel, em 1552, viajou para a Itália a fim de conhecer o estilo de pintura dos artistas italianos mais famosos, como Michelangelo e Rafael. Bruegel também recebeu uma grande influência do artista Hieronymus Bosch. Tamanha foi essa influência que às vezes fica difícil distinguir o trabalho desses dois artistas.

Bruegel adorava pintar paisagens, mas acabou gostando de pintar pessoas também. Gostava de pintar o cotidiano das pessoas simples do campo, o trabalho na colheita, as festas…

As pinturas de Bruegel eram cheias de detalhes e sempre repassavam alguma lição. Os especialistas acreditam que Bruegel pode ter colocado, nas suas pinturas, mensagens secretas. É o caso dessa tela: Jogos infantis, 1560 (Óleo sobre painel de madeira, 118 x 160,9 cm), que se encontra no Museu de História da Arte, em Viena. Acredita-se que, nessa tela, Bruegel, através das brincadeiras de crianças, quisesse fazer uma crítica aos líderes governantes da cidade e da Igreja da época, mostrando que eles, os governantes, agiam como crianças e não levavam seu trabalho muito a sério.

Dicas para o trabalho com artes na escola
Projeto: Conhecendo Pieter Bruegel

· Antes de falar sobre Pieter Bruegel com seus alunos, mostre a eles a tela acima e solicite que a descrevam oralmente. Estimule o olhar crítico dos alunos com relação às formas produzidas pelo artista. Questione-os sobre o que retrata a tela. Em seguida, converse com eles sobre a vida e obra desse artista.

· Solicite que eles criem um desenho que possa conter uma mensagem secreta. Em seguida, exponha os desenhos num mural e estimule-os a descobrirem a mensagem secreta que cada um escondeu na sua pintura.

· Por fim, leve-os a uma biblioteca (da própria escola, se houver, e/ou Biblioteca Municipal) para que pesquisem sobre a vida e obra desse artista. Oriente-os para registrarem no caderno o material pesquisado. Solicite que apresentem oralmente para a turma o resultado da sua pesquisa. (Você poderá sortear um ou dois alunos para apresentar o resultado da pesquisa, dependendo do seu tempo de aula.)

cubos