Edição 07

Matérias Especiais

Projeto Criança Urgente

Contrárias a qualquer forma de resignação perante a desigualdade social e as condições de miséria das comunidades mais carentes, que infelizmente são maioria na população brasileira; as Irmãs Medianeiras da Paz fundaram há mais de 12 anos o Instituto Social das Medianeiras da Paz, na sede do seu Patronato Nossa Senhora da Conceição, no Pina. Inspiradas nas sábias palavras de Paulo Freire, elas arregaçaram as mangas e desenvolveram o Projeto Criança Urgente- PROCRIU- de prevenção e educação de crianças e adolescentes.

“A paz é fruto do amor, da fraternidade, da solidariedade, da justiça e da dignidade. E a violência é a ausência de tudo isso.” Seguindo a verdade da sua própria definição de paz, Irmã Anatília de Souza Viana, coordenadora do Projeto, facilmente enxergou que a melhor maneira de manter as crianças longe da violência escancarada que rondava suas vidas era criar oportunidades de elas preencherem seu tempo com outras atividades lúdicas, educativas, artísticas e até mesmo profissionalizantes. Mas como não tinham espaço nem condições de atender toda a população do Pina, grande parte residente na favela do Bode- uma das mais pobres da Região Metropolitana do Recife, as Irmãs tiveram que eleger um justo processo de seleção. E nesse “peneirar”, decidiram priorizar as crianças em situações mais críticas de violência doméstica que, infelizmente, ainda são muitas.

Hoje o PROCRIU recebe 160 crianças entre os 7 e os 15 anos, pertencentes a 113 famílias daquela área. A turma recebe alimentação e, durante o período em que não estão na escola, permanecem no Instituto, freqüentando diariamente as várias oficinas oferecidas pelo Projeto. As Modalidades do ISMEP (Instituto Social das Medianeiras da Paz) são: informática, arte- educação, esportes, reciclagem de papel, dança, capoeira, percussão; além do acompanhamento escolar através de aulas de reforço.

Irmã Anatília escalou um forte “time”para levar o PROCRIU adiante e outras irmãs da Ordem reforçaram sua equipe como, por exemplo, a Irmã Zena- pedagoga responsável pelo projeto. Além do incondicional apoio da Irmã Zena, Irmã Anatília conta ainda com o auxílio de uma psicóloga, uma Assistente Social, alguns arte-educadores, monitores, técnicos e estagiários; totalizando um bom “time” de cerca de 15 colaboradores.

Criado como ONG- Organização Não Governamental, o Instituto sobrevive basicamente de doações de benfeitores e do apoio de algumas entidades. Os equipamentos para a oficina de informática foram oferta do Rotary Club de Boa Viagem. O NUAMPO (Unicap) e o PETI (Prefeitura da Cidade do Recife) participam disponibilizando alguns técnicos e estagiários e contribuindo para o financiamento da alimentação. Mas, só o apoio institucional não era suficiente para cobrir as despesas mensais e fazer com que o PROCRIU continuasse respirando, e semeando paz na comunidade do Pina.

É nesses momentos, que os menos favorecidos têm que se valer de uma de suas armas mais poderosas: a criatividade. Inventar maneiras alternativas de tornar o projeto cada vez mais auto-sustentável era um desafio. Irmã Anatília e sua equipe não desanimaram e, novamente venceu a perseverança. Daquela “plantação de fé” brotaram rapidamente excelentes idéias que hoje dão bons frutos para a comunidade. O Bazar Porta Aberta e a Feijoada são dois exemplos perfeitos do que a Irmã Anatília costuma chamar de “Economia da Solidariedade”.

As duas experiências aqui referidas são mantidas por doações e revendidas por valores simbólicos aos moradores da Região, que assim, mesmo que indiretamente, estão envolvidos no projeto, garantindo a sobrevivência do mesmo e, conseqüentemente, a diminuição da violência e a manutenção da paz e todos os benefícios que ela traz as famílias. A “Economia da Solidariedade” conquistou mais adeptos e foi fundado o Grupo Associativo de Entidades Sociais- GAES, uma Rede de Associações que se ajuda mutuamente e juntas têm muito mais força para enfrentar os problemas e conseguir minimizar a exclusão social, num trabalho preventivo de criação da cidadania.

Depois de tantos anos de trabalho pela paz, o PROCRIU teve seu mérito reconhecido, conquistando a Mensão Honrosa do Prêmio Itaú-Unicef, edição de 2001. Mas, para a Irmã Anatília, o grande prêmio dessa iniciativa está na modificação da realidade. Estudos indicam que 80% das crianças e adolescentes participantes do Projeto mantiveram-se longe da violência e fora da marginalidade. Um número que faz brilhar os olhos sempre entusiasmados e otimistas dessa verdadeira “guerreira da paz”. E, ela vai mais além, quer descobrir e desenvolver dons e talentos dos moradores da Favela do Bode que passam pelo Instituto. Lapidar , com dedicação, paciência e muita coragem os “verdadeiros diamantes afundados na lama” – mais uma das suas sábias analogias- que, sem dúvida, serão futuros instrumentos da paz.

PROCRIU- ISMEP (Patronato Nossa Senhora da Conceição)
Rua Arthur Lício, 221- Pina- CEP. 51011-150- Recife-PE -Tel/fax: (81) 3325.0887- 3465.7374
Conta Corrente: Banco do Brasil – Instituto Social das Medianeiras da Paz – C/C- 10.105-2 – Agência 3699-4

cubos