Edição 69

Projeto Didático

Semana da Matemática

Colégio de São José – Barreiros – PE

criancas_sentadas_chao

Justificativa

A Matemática, ao longo do tempo, tem sido considerada uma disciplina de difícil compreensão por parte da maioria dos alunos do Brasil e do mundo. Vários fatores contribuem para isso, entre eles destaca-se a teorização excessiva em detrimento da vivência da prática no cotidiano das salas de aulas espalhadas por este imenso país, contribuindo para que a Matemática seja vista como uma disciplina chata, rígida e sem significado. Uma visão que passa de geração a geração como sendo uma verdade imutável e à qual só tem acesso uma pequena parte dos alunos que frequentam as bancas escolares.

Com a perspectiva de mudar ou, pelo menos, minimizar o quadro acima, nós, professores de Matemática do Colégio de São José, planejamos atividades voltadas à participação direta dos nossos alunos.

Nosso hábitat

O Colégio de São José, fundado no ano de 1964, pertence à Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho e fica localizado na cidade de Barreiros, em Pernambuco, a 100 km do Recife, capital pernambucana. Atende crianças do Maternal à 3ª série do Ensino Médio que residem em Barreiros e cidades vizinhas.

Ultimamente fatores externos à Educação têm colocado à prova as verdadeiras razões pelas quais abraçamos a causa educacional. Ao apagar das luzes da década de 1990, presenciamos o fechamento da única indústria da cidade: a Usina Central Barreiros, levando centenas de pais de família ao desemprego. Ao nascer de uma nova década, uma grande enchente invade a cidade; dessa vez, levando sonhos e esperanças de dias melhores. A cidade passa por transformações profundas, vivendo unicamente do comércio. Nos anos de 2010 e 2011, tivemos outras enchentes de proporções maiores que devastaram grande parte da cidade, incluindo o nosso Colégio de São José.

Objetivo

A partir da premissa de que o estudante não realizou completamente ou adequadamente aprendizagens anteriores, repetindo certos conceitos de forma esquemática e pouco significativa, levando-o ao inevitável completo desinteresse e desmotivação, sentimos necessidade de aplicar atividades que tornassem a disciplina mais prática, dinâmica e instrumental, que não ficassem restritas apenas ao campo matemático, mas que abrangessem outras disciplinas.

Como o dia 06 de maio é considerado o Dia da Matemática, tomamos este mês como o indicador daquilo que os nossos professores de Matemática vêm trabalhando em sala de aula, através de um dos pontos do nosso projeto pedagógico: a Semana da Matemática.

Metodologia

A Semana da Matemática é aplicada em três atividades, sendo uma em cada dia, nos dois últimos horários após o intervalo, de forma que as três aulas iniciais do dia são realizadas normalmente para não interferir muito na programação curricular.

A primeira atividade é a aplicação das questões da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), numa forma de verificar como os nossos alunos, sendo de escola particular, se defrontam perante às questões aplicadas aos alunos da rede pública.

Tivemos 60% do total de alunos com pontuação satisfatória, com premiação individual para os alunos que se destacaram em sua série/ano, com medalhas e fardamento escolar.

A segunda atividade é o Festival de Paródias. É o momento de maior descontração por parte dos alunos, mostrando seus talentos musicais, imitando seus cantores preferidos, ao mesmo tempo que difundiam suas ideias e concepções sobre a disciplina, os professores e a escola. Vale destacar a participação efetiva dos demais alunos que assistiam às apresentações das paródias com entusiasmo e torcida contagiante, completando o espetáculo de cores, luzes e sons.

A terceira atividade é a Gincana Matemática, composta de quatro tarefas: Você me Conhece?, Prova Esportiva, Desafios Matemáticos e Esquenta Miolo.

No Você me Conhece?, os alunos lidam com símbolos matemáticos, cálculo operacional, estimativa de medidas e identificação dos grandes matemáticos da história.

Na Prova Esportiva, há perguntas envolvendo Ciências, Esportes, História, Economia e Geografia, aliadas a práticas esportivas, como boliche, jogo de dados, basquete.

Em Desafios Matemáticos, temos o manuseio de jogos matemáticos, como Quadrado Mágico, Tangram e Torre de Hanói.

No Esquenta Miolo, há a resolução de situações-problemas envolvendo o raciocínio lógico e questões heurísticas.

Avaliação

Observamos que, após a realização da Semana da Matemática, ficou aquele clima de satisfação entre a equipe organizadora e também aquele gostinho de quero mais por parte dos alunos. No geral, atingimos totalmente nossos objetivos, uma vez que estamos conseguindo desmistificar aquela ideia negativa que permeia a mente dos alunos, apresentando a Matemática de forma mais prazerosa e informal.

Os resultados positivos são visíveis não só naqueles que representaram diretamente suas turmas, mas em todos os que acompanharam e assistiram às atividades do projeto.

Considerações finais

Não só apenas do ponto de vista pedagógico, mas também do lado social, a nossa busca é o alcance da autoestima perdida em meio ao frágil ambiente socioeconômico que estamos atravessando, aplicando atividades diferenciadas que enalteçam o papel da escola enquanto espaço de construção da cidadania.

Se há um pensamento que possa espelhar o momento que estamos vivendo, talvez seja este o ideal, de um autor desconhecido: “Ainda não somos o que queremos, mas já não somos o que já fomos”.

Paralelamente e dando continuidade ao nosso trabalho, temos o Clube de Xadrez e a participação na Olimpíada Interescolar de Matemática, mas aí já é outra história a ser contada…

Prof. Givaldo Costa – Coordenador de Matemática.

Paródia

Fico assim sem você
(Claudinho e Buchecha)

Aula sem divisão
Ou radiciação
Sou eu sem calcular
Potência com raiz
Foi o que eu sempre quis
Sou eu sem calcular
A minha vida sem calcular
É o meu pior castigo
Eu conto as horas para poder somar
Mas o lápis está de mal comigo
Por quê? Por quê?
Desse jeito eu vou ficar
Preciso estudar
Para de ano poder passar
A base eu vou olhar
Com expoente multiplicar
Somar, subtrair
Minhas notas vão cair
Não posso vacilar

Testemunhos dos alunos

“Achei a Semana da Matemática muito legal porque foi uma maneira de aprender mais sobre a matemática sem ficar tendo que fazer contas todos os dias. Pude praticá-la de um modo diferente. Nessa semana fiz a prova da Obmep, mas também me diverti com as paródias e com a gincana. Enfim, considero proveitoso esse projeto, pois fez com que nós, alunos do Colégio de São José, interagíssemos de um modo diferente do tradicional” (Lavínia Fernanda Oliveira Costa – 7º Ano A).

“Essa gincana foi muito divertida. Desses três dias, a parte que mais gostei foi a das paródias, pois é muito diferente do modo tradicional que acaba se tornando chato e, por isso, as pessoas perdem o interesse em aprender e acabam ficando com dificuldades na escola. Tenho certeza de que todos do Colégio de São José que participaram desse projeto aprenderam bastante” (Julievelly Vanderley Tenório Ferreira – 7º Ano A).

cubos