Edição 13

O livro da vez

Um vale muito mais que encantado

Todo mundo sabe que Oswaldo Montenegro é uma sumidade na música. O que muita gente não sabe é que ele também enveredou pela literatura com seu Vale Encantado. O livro, escrito de forma simples e clara, é um excelente recurso para trabalhar assuntos difíceis com os alunos, tornando-se uma alternativa para o período de final de ano. Mas, claro, sem deixar a música de lado, pois um CD acompanha a obra. Na entrevista a seguir, Oswaldo fala de música, processo de criação, esperança e muito mais.
Confira!

Construir Notícias – Oswaldo, como surgiu a idéia de fazer um livro para crianças?
Oswaldo Montenegro – A idéia veio naturalmente, sem querer, e a forma foi a mais simples possível.

CN – Por que a escolha de escrever conto?
OM – Procurei escrever de maneira clara, sem nada rebuscado.

CN – Você escreveu e compôs as músicas do CD que acompanha o livro Vale Encantado. Qual desses dois processos de criação se desenvolveu mais facilmente para você?
OM – É claro que a música, sendo minha área real de atuação, torna o CD mais natural pra mim.

CN – Como foi o processo de criação do livro todo?
OM – O processo de criação do livro foi em conjunto com o desenhista Gordo Marques. Tudo leve, quase que de brincadeira.

CN – Como você encara a música enquanto recurso para o processo de ensino–aprendizagem das crianças?
OM – É claro que a música contribui ou pode contribuir para o ensino. Ela toca a alma, envolve, facilita o acesso.

CN – Como trabalhar as músicas do Vale Encantado em sala de aula?
OM – Quanto às canções do Vale, não me julgo apto a opinar, pois sou apenas um artista e não me atrevo a dar palpite em questões didáticas.

CN – O livro foi escrito em 1996, antes de serem lançadas obras que desmistificam os heróis, como Shrek, por exemplo. Podemos perceber que, no primeiro momento, esse é um recurso que você utiliza, dando aos personagens um comportamento humano. Qual o motivo dessa escolha?
OM – Foi uma escolha lúdica. Dando aos personagens uma vida fora das histórias, quis fazer uma referência e uma reverência aos atores sempre prontos a encarnarem com uma nova personalidade quando alguém precisa sonhar.

CN – É difícil lidar com as crianças a respeito dos problemas que a sociedade, em geral, enfrenta e que são abordados no livro, como pobreza, mendicância, falta de respeito com os idosos, etc. Por que você criou o Mundo dos Homens Sérios no livro, já que os alunos perceberão que é o mundo em que eles vivem e, de certa forma, terão a confirmação de que um mundo perfeito não existe?
OM – Pra que, olhando de uma certa distância, o absurdo e a falta de perspectiva ficassem visíveis.

CN – Durante a leitura do livro, existe sempre um alto-falante chamando os personagens para o trabalho. Por que você optou por fazer, dos personagens dos contos, trabalhadores?
OM – Para homenagear os atores que vivem assim.

CN – Outro ponto que é abordado no livro, e é muito interessante, é a obrigação do trabalho, pois a Branca de Neve tem de cumprir o que estava previsto: ficar com o príncipe, mesmo amando Dunga. Essa passagem do texto foi proposital para que as crianças percebessem que, na vida, muitas vezes, temos que fazer o que não queremos? Foi uma alternativa de tratar o assunto com leveza?
OM – Sim, além de um certo humor na mistura entre ficção e realidade para o ator.

CN – Por que, no final do livro, na verdade, tudo era um sonho do Pequeno Polegar?
OM – Quase que um consolo para o Pequeno Polegar, porque, se, pra nós, as bruxas e os ogros são insuportáveis, pra eles, nós é que o somos.

CN – Foi intencional deixar aberta a possibilidade das crianças manterem o Vale Encantado como um lugar real?
OM – Assim como a gente diz que fadas não existem, eles falam o mesmo de nós…

CN – Um livro é uma obra de arte, mas os autores, hoje em dia, têm que se preocupar com o potencial comercial ou não?
OM – Não sei. Eu não me preocupo, pois não é este meu ofício. Sou um músico. Escrever o livro foi um acidente da inspiração.

CN – Podemos esperar por outra obra sua de literatura para crianças?
OM – Quanto a outro livro… Quem sabe?

CN – Você gostaria de mandar alguma mensagem ao nosso público-alvo, em geral, professores?
OM – Só agradecer a atenção.

Os personagens do mundo da fantasia moram no Vale Encantado de Oswaldo Montenegro, tanto no livro (Editora FTD) quanto no CD com a trilha do musical.

cubos