Edição 93

Matérias Especiais

Uma ferramenta inovadora para o desenvolvimento de competências em sala de aula

Luana Silveira Moraes

6_materialIntrodução

No mundo tecnológico e globalizado em que vivemos, onde a informação é tamanha, o conteúdo proposto pelo professor tem o desafio de estimular o conhecimento do aluno para o aprendizado. Espera-se um novo perfil de educador, que, através da interdisciplinaridade e de novas tecnologias, prepare o aluno para o mundo. Para Morin (1999), a escola deve auxiliar o aluno a se perceber como sujeito pertencente a um mundo complexo1. Dessa forma, se faz necessária uma reavaliação sobre a proposta educacional atual, em que, geralmente, a escola ensina apenas o conhecimento técnico e científico, deixando de lado o desenvolvimento de competências pessoais2. Além de agregar para um bom desempenho acadêmico, o desenvolvimento de tais competências proporcionará êxito em diversos âmbitos da vida do educando. O coaching educacional poderá ser uma metodologia eficaz para esse processo inovador de ensino-aprendizagem.

Coaching educacional como ferramenta complexa, centralizando o aluno no processo de ensino-aprendizagem
Não podemos separar o desenvolvimento cognitivo do desenvolvimento pessoal, pois o aluno não se despirá de sua subjetividade ao adentrar a sala de aula. Deverá ser respeitada a individualidade do aluno, suas diferenças, inseguranças, influências e seus valores. Masseto (2012 p. 52) aborda a educação com esse viés complexo e significativo. Para ele, a aprendizagem significativa “[...] é aquela que envolve o aluno como pessoa, como um todo (ideias, sentimentos, cultura, valores, sociedade e profissão)”. Além do aprendizado técnico, o aluno deve aprender a socializar, ter autoconfiança, ser responsável por seu processo de aprendizagem, trabalhando seu senso crítico. Trabalhar com os alunos disciplinas que não se limitam apenas ao conhecimento acadêmico, através da interdisciplinaridade, poderá ser valioso para a integração do sujeito na sociedade moderna e complexa na qual vivemos.

7_material

O coaching educacional é uma metodologia que utiliza técnicas específicas e aborda o aluno em seu desenvolvimento por completo, tanto intelectual quanto emocional. Segundo Pérez (2009, p.13), o coaching é “[...] uma técnica de desenvolvimento pessoal que tem como principal objetivo ajudar o aluno a alcançar as metas que se propõem e facilitar melhorias nas suas competências, seus comportamentos, suas capacidades e atitudes [...]”. Para isso, o coaching dialoga com diferentes disciplinas que permitirão o desenvolvimento do aluno por completo, unindo técnica à motivação e teoria à experiência concreta3. Para o coaching, o líder tem papel importante no desenvolvimento das pessoas; no entanto, os holofotes estão voltados para o coachee4; a ele, cabe a iniciativa de colocar em prática seus projetos. O líder coach “[...] transporta as pessoas de um lugar para o outro, do ponto onde estão para o ponto a que gostariam de chegar amanhã, sendo o coaching apenas um facilitador dessa viagem [...]” (PÉREZ, p. 19, 2009).

8_material

O profissional docente pode ser comparado ao líder coach, pois ambos desenvolvem pessoas e têm, sob sua responsabilidade, o desempenho do grupo. A partir do momento em que o professor é somente o mediador, o aluno é detentor de seu próprio conhecimento e desenvolve metodologias próprias de aprendizagem, aprimorando seu senso crítico. Uma ferramenta importante para esse ensino estruturado é o feedback5, pois proporcionará ao aluno autoconhecimento, competência fundamental e necessária para uma vida adulta saudável e para que alcance processos mais complexos, como metacognição e inteligência emocional6.

Luana Silveira Moraes é aluna no curso de pós-graduação em Docência: Métodos e Práticas Inovadoras pelo Instituto de Educação do Rio Grande do Sul (Iergs) e analista de treinamento em educação corporativa. E-mail: luamoraes30@outlook.com

Considerações Finais

O coaching educacional será uma metodologia importante para auxílio na mudança cultural dentro do ambiente escolar, revisitando valores, mudando crenças e desenvolvendo o aluno como indivíduo crítico e construtor de seu conhecimento. A utilização de tal metodologia proporcionará a possibilidade de mudança, com foco na solução, fazendo com que o aluno consiga identificar suas necessidades e tenha a possibilidade de praticar o autoconhecimento. O docente será apenas o facilitador dessa viagem, disponibilizando as ferramentas necessárias para que seus educandos construam os caminhos para trilhar seus objetivos. É um trabalho com foco na disciplina, movendo o educando para a ação e o auxiliando com as ferramentas necessárias para a construção de seu conhecimento técnico e emocional.

Notas de Fim

1- “Complexus significa o que foi tecido junto; de fato, há complexidade quando os elementos diferentes são inseparáveis constitutivos do todo (como o econômico, o político, o sociológico, o psicológico, o afetivo, o mitológico)” (MORIN, 2000, p. 38).

2- Autoconhecimento, gestão da emoção, motivação, empatia, habilidade interpessoal e intrapessoal, entre outros.

3- Neurociência, Psicologia Cognitiva Comportamental, PNL e Filosofia.

4- Pessoa que está sob a influência do coach.

5- Feedback, ou retroalimentação, é uma informação que se dá a outra pessoa em relação à sua forma de fazer as coisas ou ao seu comportamento e que tem por finalidade melhorar ou corrigir atitudes, capacidades, competências ou comportamentos (PÉREZ, 2009, p. 47).

6- Pode-se definir como a capacidade de conhecer os nossos próprios sentimentos, bem como os sentimentos dos outros, e geri-los em benefício de ambos (PÉREZ, 2009, p. 28).

Referências

COSENZA, Ramon; GUERRA, Leonor. Neurociência e Educação: Como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011. CURY, Augusto. Gestão da emoção, São Paulo: Saraiva 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia – Saberes necessários à prática educativa. 25a edição. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

MASSETO, Marcos. Competência pedagógica do professor universitário. 2a Ed. São Paulo: Summus, 2012.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

MORIN, Edgar. Complexidade e transdisciplinaridade: a reforma da universidade e do Ensino Fundamental. Natal EdufRN,1999.

PÉREZ, Juan Fernando. Coaching para docentes: motivar para o sucesso. Portugal: Porto Editora, 2009.

SANTOS, Graça. Coaching educacional: ideias e estratégias para professores, pais e gestores que querem aumentar seu poder de persuasão e conhecimento. São Paulo: Leader, 2012.

cubos