Edição 126

Em discussão

Disciplina Positiva: um modelo de encorajamento

Shunmyo Masuno

“Uma criança precisa de encorajamento como uma planta precisa de água. É essencial para o crescimento e o desenvolvimento saudáveis.”
Rudolf Dreikurs

126-em-discursaoMuitas pessoas pensam que o estudo acadêmico é o propósito da escola e que programas disciplinares devem apoiar a excelência acadêmica. Portanto, os adultos utilizam abordagens disciplinares comuns baseadas em recompensa e punição, em um esforço para controlar os alunos. No entanto, pesquisas indicam que, se não forem ensinadas habilidades socioemocionais às crianças, elas terão dificuldade para aprender, e os problemas de disciplina aumentarão. A Disciplina Positiva é uma abordagem diferente. Imagine um trem tentando chegar ao seu destino em apenas um trilho. Isso não é possível. O trem precisa de dois trilhos, assim como nossas escolas. O primeiro trilho é o acadêmico, e o segundo trilho é o desenvolvimento socioemocional.

A Disciplina Positiva é composta por métodos que convidam os alunos a focarem em soluções em vez de serem receptáculos de punições e recompensas. As escolas que têm utilizado esse sistema integrado (os dois trilhos lado a lado) relatam que os desafios de comportamento diminuem e que a excelência acadêmica aumenta.

Anos atrás, uma das autoras estava lutando para aprender a usar o computador — ela se perguntava se valia a pena todo o esforço. Então, ouviu alguém dizer: “É tarde demais para decidir se deve haver um trem eletrônico. A escolha agora é quando embarcar nesse trem”. Essas palavras ecoaram em sua mente a cada nova descoberta eletrônica. Seu mundo está lotado de eletrônicos que tornam a sua vida mais fácil e mais interessante. Ela está feliz por ter embarcado nesse trem. Agora que você já foi apresentado aos dois trilhos da Disciplina Posi­tiva, esperamos que você queira embarcar nesse trem.

Antes de balançar a cabeça e dizer: “De jeito nenhum! Eu não consigo lidar com mais nada na minha sala de aula atarefada”, nós esperamos que você considere isto: a Disciplina Positiva tornará sua vida mais fácil. De verdade! Se você é um professor gentil e firme, que foca na parte acadêmica en­quanto ensina habilidades socioemocionais, você já embarcou no trem. Se você está se questionando se gostaria de seguir a abordagem da Disciplina Positi­va em sua sala de aula, aqui estão algumas perguntas para você considerar:

126-em-discursao-11. Você quer que seus alunos sejam capazes de tomar decisões?
2. Você quer que seus alunos aprendam a ter resiliência?
3. Você quer que seus alunos aprendam a ter responsabilidade (habilidade de resposta)?
4. Você quer que seus alunos aprendam a cooperar?
5. Você quer que seus alunos aprendam a ter habilidades de escuta?
6. Você quer que seus alunos aprendam a ter autocontrole?
7. Você quer que seus alunos fiquem confortáveis para assumir responsabilidade?
8. Você quer proporcionar um fórum no qual os outros possam dizer como eles foram afetados pelo comportamento agressivo?
9. Você quer ajudar os alunos a aprender a reparar os erros que ferem os outros?
10. Você quer uma sala de aula na qual os alunos es­tão aprendendo as qualidades e os pontos fortes para desenvolver bom caráter?
11. Você quer uma sala de aula na qual a excelência acadêmica possa acontecer porque os alunos são incentivados a gostar de aprender?

 

Os professores treinados em Disciplina Positiva criam salas de aula em que os jovens são tratados com respeito; têm coragem e prazer de aprender; e têm a oportunidade de desenvolver as habilidades de que eles precisam para uma vida bem-sucedida. A proposta da Disciplina Positiva é ter escolas nas quais as crianças nunca experimentem humilhação quando falham, mas, em vez disso, sintam-se empoderadas pela oportunidade de aprender com seus erros em um ambiente seguro. Muitas das habilidades socioemocionais que os alunos desenvolvem estão representadas nas Sete Percepções e Habilidades Significativas.

Três percepções empoderadoras que ajudam as crianças a terem sucesso na escola e na vida:

1. Eu sou capaz.
2. Eu contribuo de maneira significativa e sou genuinamente necessário.
3. Eu uso o meu poder pessoal para fazer escolhas que influenciam positivamente o que acontece comigo e com minha comunidade.

Quatro habilidades empoderadoras que ajudam as crianças a terem sucesso na escola e na vida:

1. Eu sou disciplinado e tenho autocontrole.
2. Eu posso trabalhar com os outros de forma respeitosa.
3. Eu entendo como meu comportamento afeta os outros.
4. Eu posso desenvolver sabedoria e habilidades de julgamento por meio da prática diária.

Uma descrição de como os métodos da Disciplina Positiva ensinam as Sete Percepções e Habilidades Significativas é apresentada a seguir.

Eu sou capaz

Para desenvolver uma crença nas suas próprias capacidades pessoais, os jovens precisam de um clima seguro no qual eles possam explorar as consequências de suas escolhas e seus comportamentos sem julgamentos sobre sucesso ou fracasso — sem culpa, vergonha ou dor. Os métodos de Disciplina Positiva proporcionam esse clima seguro, e os alunos podem analisar seu comportamento, descobrir como ele afeta os outros e se empenhar em resolver problemas de forma eficaz para gerar mudança.

Eu contribuo de maneira significativa e sou genuinamente necessário

126-em-discursao-2Para desenvolver a crença da sua importân­cia em relações primárias, os jovens precisam da experiência de serem ouvidos quanto aos seus sentimentos, aos pensamentos e às ideias e de serem levados a sério. Eles precisam saber: “Eu sou importante e eu conto”. Em uma sala de aula na qual se aplica a Disciplina Positiva, todos têm a oportunidade de expressar opiniões e dar sugestões em um processo organizado e respeitoso. Os alunos aprendem que podem contribuir significativamente para o processo de resolução de problemas e acompanhar as suges­tões que serão escolhidas. Eles vivenciam o objetivo principal de todas as pessoas — o senso de aceita­ção e importância.

Eu uso o meu poder pessoal para fazer escolhas que influenciam positivamente o que acontece comigo e com minha comunidade

Muitos professores não conseguem entender que os alunos têm poder pessoal e que irão usá-lo de uma forma ou de outra. Se não lhes são dadas oportunidades para usá-lo de maneira produtiva, eles provavelmente irão usá-lo de maneira destrutiva. Para desenvolver o uso saudável do poder em suas vidas, os jovens precisam de chances para contribuir de forma útil, em um ambiente que os fortaleça e que também os responsabilize. Eles precisam aprender a compreender e aceitar o seu poder para criar um ambiente positivo.

Uma sala de aula de Disciplina Positiva é um lugar onde os alunos podem vivenciar que é per­mitido cometer erros e aprender com esses erros. Em reuniões de classe, eles aprendem a assumir a responsabilidade pelas suas falhas (comprometimento), porque, em vez de serem punidos, recebem apoio para explorar maneiras de aprender com elas. Eles também aprendem que, mesmo quando não podem controlar o que acontece, eles po­dem controlar sua resposta ao que acontece.

Disciplina positiva em ação

126-em-discursao-3Ainda me lembro da emoção que senti quando fui apresentada pela primeira vez à Disciplina Positiva, pois parecia ser exatamente o que eu estava procurando naquele momento da minha vida profissional. Conheci a Disciplina Positiva por meio de uma professora assistente, que esteve comigo durante um ano inteiro. Tivemos uma turma muito desafiadora. Ela se afastou por um curto período para fazer um curso multicultural em uma escola problemática no centro de Seattle, em Washington, e me ligou as­sim que chegou para me contar sobre o programa incrível que a diretora tinha implementado. Aparen­temente, era a chave que havia transformado aquele lugar. Adivinhe que programa foi esse?!

Para encurtar a história, eu tirei uns dias de folga e fui até lá para falar com a diretora, ver como o programa e as reuniões de classe funcionavam nos diversos anos, falar com os professores, obser­var os alunos, etc. Fiquei chocada ao ver como as crianças eram respeitosas e como a escola era inclusiva. Voltei para casa com muitos materiais e toneladas de ideias para usar na minha própria sala de aula.

Eu simplesmente amei a ideia de fazer reuniões de classe, usar a pauta e dar às crianças uma chance para realmente ouvir, propor ideias e ajudar a resolver problemas dentro da sala de aula. Então, eu e minha assistente contamos o que estávamos fazendo aos outros professores da nossa escola e fomos até convidadas a fazer uma breve apresenta­ção em outra escola na nossa cidade. Obviamente, não éramos especialistas, no entanto acredito que nosso entusiasmo e os resultados positivos compen­saram a nossa falta de preparo.

Eu tenho autodisciplina e autocontrole

126-em-discursao-4A sala de aula que utiliza a Disciplina Positiva é um excelente ambiente para que os alunos possam nomear e reconhecer os seus sentimentos e desen­volver empatia e compaixão. Os jovens parecem es­tar mais dispostos a ouvir quando são ouvidos. Eles compreendem melhor suas emoções e seus comporta­mentos pelo parecer que recebem de seus colegas. Em um clima não ameaçador, estão dis­postos a assumir responsabilidade por suas ações. Eles aprendem o que é sentimento e como separá-lo de suas ações. Aprendem que o que sentem (raiva, por exemplo) é diferente do que fazem (bater em alguém) e que, embora sentimentos sejam sempre aceitáveis, algumas ações não são. Por meio do processo de resolução de problemas, eles aprendem maneiras proativas, em vez de reativas, para expressar ou lidar com seus pensamentos ou sentimentos. Desenvol­vem autodisciplina e autocontrole por pensar nas consequências de suas escolhas e por aceitar as sugestões de soluções de outros jovens. A noção de convidar os alunos a explorar as consequências de suas escolhas é bastante diferente de impor uma consequência a eles — o que normalmente é uma punição mal disfarçada —, possibilitando que aprendam com os seus erros em vez de tentar escondê-los ou defendê-los.

Eu posso trabalhar respeitosamente com os outros

A sala de aula que utiliza a Disciplina Positiva oferece as melhores oportunidades possíveis para os jovens desenvolverem habilidades sociais por meio do diálogo e de conversas, de escuta e empatia, de cooperação, negociação e resolução de conflitos. Quando um problema de comportamento surge, os professores, em vez de se apressarem para resolvê-lo para os alunos, podem colocá-lo na pauta da reunião de classe, usar os Quatro Passos para Re­solução de Problemas ou, ainda, instruir os alunos na utilização da Roda de Escolha. Todos esses mé­todos permitem que alunos e professores trabalhem em conjunto no desenvolvimento de soluções com as quais todos saem ganhando.


Christine Hamilton,
Eugene, Oregon, Estados Unidos.

Para saber mais sobre as Sete Percepções e Habilidades Significativas, veja Raising Self-Reliant Children in a Self-Indulgent World (New York: Three Rivers Press, 2002), de H. Stephen Glenn e Jane Nelsen, que dedica um capítulo para cada habilidade.

cubos