Edição 119

Editorial

Editorial

Zeneide Silva

Prezado educador,

Prezada educadora,

“A atitude positiva do professor é fator decisivo para a melhora do aprendizado.”
Ana Cristina de Souza

A preparação de cada número da revista Construir Notícias nos convida sempre a refletir sobre um tema importante para a nossa formação. Nesta edição, resolvemos trabalhar com um que merece a nossa atenção por ser uma ferramenta que propicia ao professor estabelecer conexão entre ele e os seus alunos, é o que chamamos de Rapport.

O Rapport acontece quando equiparamos o nosso comportamento, pensamento e nível de energia ao de outra pessoa. Ele acontece naturalmente, quando as pessoas tomam consciência, ainda que de forma inconsciente, do outro e começam a se comunicar. Pessoas em Rapport agem de maneira cooperativa e harmoniosa simplesmente por estarem juntas, e daí surge um senso de reconhecimento mútuo.

Ao ministrar aulas, você precisa estabelecer Rapport com seus alunos, pois é um pré-requisito para uma comunicação eficaz em sala de aula. Seja flexível, tenha perspicácia e intuições, esses elementos o capacitarão para adentrar na realidade do outro. No instante em que o outro reconhece que você está conectado a ele, criando semelhanças entre ambos, abre-se o caminho para a comunicação e troca efetiva e afetiva.

O Rapport pode facilitar a maneira de conseguir os resultados que você deseja e acredita. Tudo depende de como as coisas são conduzidas em sala de aula. E sabemos que nós, professores, temos um papel fundamental para o desenvolvimento e o crescimento do aluno.

Estudando sobre Rapport, encontrei um pensamento de Freire em que ele afirma, em seu livro Pedagogia da esperança, que “Sem diálogo, não há educação”, e o Rapport é uma forma de dialogar com o outro, sentir empatia.

É por meio da empatia que somos capazes de adentrar na realidade do outro, ou seja, nos espelharmos no seu comportamento, na sua linguagem e nos seus gestos, como uma dança espontânea. Mas, para que isso aconteça, é necessário haver flexibilidade e, acima de tudo, manter a mente e o coração abertos.

Pensar a educação é pensar o Homem, é concebê-lo em seus aspectos biológicos, mas também culturais. Pensar a educação do ser humano é não ignorar suas circunstâncias. A educação é a própria existência humana em busca de perpetuação ou de mudança.

Neste número, são nítidas a construção e a competência dos professores doutores que abrilhantam nossa revista com assuntos relacionados ao tema central: Rapport – uma linguagem entre aluno e professor, de Nildo Lage; Rapport: a importância desta técnica na gestão educacional, de Grasiela Dourado; “E aí, prof. Tudo ‘manero’?” Rapport – uma linguagem entre estudante e professor, de Rosangela Nieto de Albuquerque; e Isso aí é o professor?, de Lécio Cordeiro.

Bem, só nos resta desejar uma boa leitura, grandes realizações e sucesso para você, seus alunos e sua escola.

Esperamos que o tema possa ter contribuído para o seu crescimento profissional. Este é o nosso maior objetivo: o de poder estar sempre ao lado de todo educador que acredita que a sua prática será sempre uma forma de mudança na construção de um mundo melhor.

Feliz vida!

Seja um feliz educador!

Um grande abraço,

 

Zeneide

(@profzeneidesilva)

cubos