Edição 120

Projeto Didático

Projeto Alceu Valença: um músico pernambucano

Jevison Cesário Santa Cruz

Educandário brasileirinho – Recife/Pernambuco

A música é uma linguagem universal presente nas variadas etapas da existência humana. Iniciando-se no período do ventre materno, local onde o feto já consegue ouvir sons, a experiência se acentua de maneira considerável durante a infância, encontrando na escola um espaço propício para a sua vivência. Sublinha-se que, no ambiente escolar, a interação com a música é fator constante, uma vez que a prática do cantar já Imagem_Autorizadase inicia no bom-dia, estende-se pela hora do recreio, intensifica-se nas dinâmicas e se conclui na hora da despedida.

Na atual figuração em que o mundo se encontra, diante da pandemia da Covid-19, o fazer musical ganha proporções a partir do momento em que a música desempenha seu papel terapêutico, pois, liberando dopamina e distribuindo-a para o corpo, a sensação de bem-estar se estabelece, principalmente nesse momento em que problemas psicológicos diversos têm atingido diferentes faixas etárias. Logo, o ditado popular do “Quem canta seus males espanta”, proposto neste cenário, agiganta-se.

Diante disso, foi sugerida a execução de um projeto para a turma do 4o ano intitulado: Alceu Valença: um músico pernambucano, através do qual os estudantes puderam, num ambiente de ludicidade, tocar instrumentos musicais, como flauta doce e percussão; executar algumas das obras do compositor; e, ao mesmo tempo, conhecer parte da biografia desse representante da música pernambucana.

Justificativa

A Educação Musical é uma disciplina que compõe o currículo escolar desde a Grécia Antiga. E esse processo histórico entre idas e vindas no contexto brasileiro ratificou o seu valor, proporcionando ao estudante diversas contribuições em seu desenvolvimento, como raciocínio lógico, memorização, concentração, interação social. Atualmente, como parte integrante do eixo de Arte na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e em consonância com o currículo de Pernambuco, espera-se que a prática musical na escola seja prazerosa, explorando a diversidade cultural, a subjetividade e a criatividade do estudante.

Público-alvo

Alunos do 4o ano do Ensino Fundamental I.

Jevison Cesário Santa Cruz

educandário brasileirinho – Recife/Pernambuco

Objetivo geral

Incentivar o aluno a conhecer a obra do compositor Alceu Valença como integrante da música regional pernambucana, despertando seu interesse em reproduzir algumas de suas canções.

Objetivos específicos

• Analisar o enredo das canções mais conhecidas do compositor.

• Desenvolver a criatividade através da construção de arranjos no momento dos ensaios.

• Exercitar determinadas notas musicais ainda não vistas no estudo da flauta doce.

• Promover interação entre a turma, a fim de fortalecer laçosde amizades.

Desenvolvimento

Para a execução do projeto, foram necessários dez encontros com duração de 40 minutos entre os meses de abril e junho. As aulas aconteceram sempre às quartas-feiras, e os alunos, a priori, foram apresentados à biografia do compositor em destaque. Através dela, puderam conhecer seu local de nascimento; a localização do município quando comparado à capital, Recife; sua primeira formação profissional; e sua opção pelo exercício da carreira musical.

Nesta dinâmica fundamentada nos escritos de Paulo Freire sobre a importância do diálogo na prática pedagógica, procurou-se saber dos alunos quais eram as músicas que eles conheciam de Alceu Valença.

Nessa interação necessária, em que se valorizam as percepções e ideias do educando, percebeu-se que as músicas mais conhecidas por eles eram Morena tropicana, Anunciação e Girassol. Entretanto, depois de alguns encontros estudando a canção Morena tropicana na flauta doce, poucos alunos conseguiram tocá-la, devido à necessidade de mais agilidade na troca de notas em uma tessitura na qual eles não tinham domínio.

Posteriormente, estudaram as canções Anunciação e Girassol, que têm uma melodia com andamento mais lento e notas em graus conjuntos e puderam ser executadas de maneira satisfatória. Quanto ao acompanhamento percussivo, parte da turma fez uso de clavas, reco-reco e tarol, sendo acompanhada harmonicamente por um violão tocado pelo professor da disciplina.

Porém, não se pode esquecer de que, diante do cenário pandêmico, existiram alunos que participaram remotamente gravando seus vídeos tanto executando a flauta doce quanto utilizando utensílios domésticos, como colher de pau, e, assim, fizeram a função das clavas na marcação do ritmo.

Considerações finais

Para a conclusão do projeto, foi gravado um vídeo com os alunos presentes em sala de aula e foram incorporados, via edição, os vídeos dos alunos que estavam de maneira remota. Assim, tanto as famílias quanto a comunidade escolar puderam acessar a apresentação por meio de divulgação nos grupos de WhatsApp da escola.

Logo, o projeto se mostrou profícuo, uma vez que proporcionou aos alunos conhecerem a obra de um importante artista da música regional pernambucana, vivenciarem a prática de conjunto em música e aliviarem tensões através da execução de instrumentos.

Jevison Cesário Santa Cruz é Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco e professor de Música no Educandário Brasileirinho – Fundamental I.
E-mail: jevison_maestro@hotmail.com.

cubos